Categorias
Atualidades

Euroflora 2022: A espetacular feira de flores de Gênova

 

A Euroflora 2022 acontece de 23 de abril a 8 de maio de 2022 no Parque de Nervi, em Gênova.

 

Elegância, prestígio, beleza. Certamente estas são as notas de estilo que descrevem a Euroflora há mais de 50 anos. De 23 de abril a 8 de maio de 2022, no Parque de Nervi, em Gênova, a mais espetacular exposição de flores europeia irá proporcionar aos visitantes uma experiência única.

Sem dúvida, a grande protagonista é a natureza em todas as suas formas. Não irão faltar exemplares de cores magníficas, obras de arte e encantos exóticos num contexto evocativo de grande valor histórico e paisagístico. A Euroflora 2022 será uma viagem de rara beleza, onde a surpresa e o deslumbramento acompanharão os visitantes por jardins encantados e vistas deslumbrantes para o mar.

 

O que é a Euroflora?

Em síntese, a Euroflora é uma exposição de flores e plantas ornamentais que acontece em Gênova a cada 3 anos. A edição deste ano é aquela que deveria ter sido realizada em 2021, mas que foi adiada por causa da pandemia.

A primeira edição da Euroflora aconteceu em 1966 com base em uma ideia de Carlo Pastorino que propôs à associação de horticultores da Ligúria organizar uma exposição floral como aquela realizada em Gante, na Bélgica.

Os expositores da Euroflora são produtores, floricultores e vivaistas que participam individualmente ou em associação. Mas também há Municípios, Regiões e Países com stands institucionais, que permitem a comparação entre as várias produções.

Sem dúvida, o layout e os conteúdos da Euroflora permitem a todos apreciar de perto as melhores técnicas de cultivo de flores e plantas, redescobrindo-as como um hábito de vida. Mas ao mesmo tempo, transmitem uma profunda mensagem de amor e respeito pela natureza.

Euroflora 2022

A Euroflora 2022 em Gênova

A de 2022 será a XII edição da Euroflora e reunirá em Gênova compradores e expositores de diversos países.

O evento será distribuído por uma área de mais de 8 hectares de jardins e nos 3 museus do complexo, cujas coleções serão o cenário para magníficas composições florais. Além disso, amplos espaços ovais, repletos de riachos e fontes, vão combinar-se com os sugestivos cenários dos Parques. Dessa forma, os visitantes poderão admirar e adquirir exemplares únicos, coleções e produções de excelência.

LEIA TAMBÉM  Nervi, Gênova: Dicas do que ver

 

Mais sobre a Euroflora 2022

Datas:

De 23 de abril a 8 de maio de 2022

Horários:

A Euroflora 2022 funcionará das 8h30 às 19h, com a última entrada às 18h.

Ingressos:

Como o número de visitantes é limitado, é necessário adquirir os ingressos com antecedência, no site oficial da Euroflora 2022. Os bilhetes têm data fixa e no preço estão incluídas passagens de ônibus e trens dentro de Gênova (exceto Volabus e Navebus), bem como o serviço de ônibus do estacionamento do Piazzale Kennedy até a estação ferroviária Genova Brignole.

Enfim, vale ressaltar que não é possível modificar as datas dos bilhetes, que são nominais e não-reembolsáveis.

Preços

Ingresso inteiro: €24,50

Reduzido: €17,50 (idade entre 9 e 16 anos, e pessoas com deficiência comprovada)

Gratuito: crianças até 8 anos

 

E então, pronto para ser conquistado pelo charme da criatividade de paisagistas, floristas e designers florais?

 

Categorias
Passeios

Imperia: dicas do que ver e fazer

 

Imperia está localizada na Riviera dei Fiori (Riviera das Flores), entre Nice, na França, e Gênova. Esta cidade portuária é conhecida como a cidade das azeitonas, mas também como uma cidade com duas faces. Neste artigo, trago algumas dicas do que ver em Imperia em um passeio de um dia.

Mas para que você possa entender melhor como programar seu roteiro em Imperia, precisa antes conhecer algumas informações históricas sobre a cidade.

Antes de mais nada, o nome de Imperia consta no mapa somente há 100 anos. Isso porque foi em 1923 que Mussolini decidiu que as cidades rivais de Oneglia e Porto Maurizio, cada uma em cada margem do rio Impero, deveriam se tornar um só município. O problema é que as duas eram inimigas históricas, cada uma com seu padroeiro, seus costumes e tradições. Imagino que os habitantes não devem ter aceitado muito bem essa imposição do ditador…

Enfim, Oneglia e Porto Maurizio são dois nomes que você encontrará sempre que pesquisar sobre o que ver em Imperia.

o que fazer em imperia
Bem vindos à cidade com o melhor clima da Itália. Será?

O que ver em Imperia Oneglia

Considere que em um passeio de 1 dia você consegue per as principais atrações de Impéria. Por isso, ela pode até ser uma parada se você está viajando de carro entra a França e a Itália. Veja as minhas dicas do que fazer e o que ver em Imperia, e então elabore seu roteiro.

 

1. O Museu dell’Olivo (Museu da Oliveira)

Se você chega a Imperia de trem, essa pode ser sua primeira parada. Como escrevi anteriormente, Imperia é famosa por suas azeitonas e, por consequência, pela produção de azeite de oliva. Sendo assim, vale a pena visitar o Museu da Oliveira, que pertence à empresa Carli, grande produtor de azeite italiano.

Dentro do museu, instalado em um belo edifício da década de 1930, você pode conhecer um pouco da história milenar da oliveira, com exposições que incluem achados arqueológicos e antigos lagares de azeite. Até será possível ver o lagar Fratelli Carli em funcionamento, mas apenas nos meses de novembro a abril. Também é possível visitar o jardim, onde há oliveiras milenares.

O museu, assim como o estabelecimento, fica na Via Garessio, 13. As visitas podem ser feitas de segunda a sábado, das 10h às 13h e das 15 às 18h. O ingresso custa 5 euros. Veja mais informações no site do Museu dell’Olivo.

 

2. Calata Cuneo

A Calata Cuneo é um ponto de encontro diário e noturno para o povo de Imperia. É o cais do porto comercial de Oneglia, realçado por uma esplêndida fileira de casas em tons pastel. Lá você vai encontrar muitos lugares para desfrutar de um bom almoço de peixe fresco, mas não só. É o coração da vida noturna da cidade, por isso certamente não faltam bares e pubs onde tomar um drink.

o que ver em imperia

Além disso, você pode percorrer todo o píer, chamado Molo Lungo, até o farol e admirar a paisagem composta pelos barcos de pescadores em primeiro plano, o mar e o horizonte e as casinhas Calata Cuneo.

Um dos barcos atracados é uma espécie de restaurante, onde você pode comprar frituras de peixe.

 

O que ver em Imperia Porto San Maurizio

Caso esteja a pé, para ir de Oneglia a Porto San Maurizio, você pode pegar um ônibus urbano ou então fazer uma caminhada de cerca 20/30 minutos. Veja abaixo o que ver em Imperia na zona de Porto San Maurizio.

 

1. Parasio

Sem dúvida, o destaque desta parte da cidade é o Parasio, que é o centro histórico medieval. Ele é repleto de igrejas, prédios antigos, jardins, vielas e vistas deslumbrantes para o mar e as montanhas. Parasio fica no alto de um pequeno morro, bem em frente a Oneglia. Por isso, é preciso subir um pouco para chegar lá, mas não tenha preguiça!

O bairro ainda respira uma atmosfera diferente do resto da cidade. De fato, parece que estamos em um vilarejo do interior. Além disso, o emaranhado de vielas floridas permite desfrutar da vila com calma e tranquilidade, em busca dos detalhes coloridos que a enriquecem.

dicas de imperia

2. Passeggiata degli Innamorati

A passeggiata degli innamorati (em português, passeio dos apaixonados) é um caminho com vista para o mar que liga Borgo Marina ao pequeno bairro de Borgo Foce. As pessoas adoram passear lá e, de fato, o lugar tem uma vista linda. Ao entardecer, as luzes do pôr-do-sol dão um toque a mais à beleza do lugar.

O Borgo Foce manteve a aparência típica de uma vila de pescadores, onde as casas coloridas tinham vista diretamente para a praia. A área foi recentemente reconstruída e feita quase inteiramente para pedestres.

Continuando a caminhada, você chegará a Borgo Prino, o bairro mais à oeste da cidade. Lá também existem vários bares e restaurantes.

o que ver em imperia

Outras dicas do que ver em Imperia

Elenquei acima as atrações principais que você pode ver em Imperia em um dia. Sobrando disposição e tempo, há ainda outras coisas que você pode colocar no seu roteiro. Por exemplo:

  • O museu naval, interessante para adultos e crianças que gostem desse assunto. Lá se encontra um ótimo acervo de instrumentos de bordo, miniaturas, fardas, ex-votos e toda uma seção dedicada ao mergulho. Fica na Piazza Duomo.
  • Estamos em uma cidade litorânea, então se você visita Imperia no verão pode aproveitar para curtir as praias! A mais concorrida é, sem dúvida, a Spiaggia Dorata, de Borgo Marina, não muito longe de Borgo Prino, na ponta leste da cidade.
  • Por fim, uma dica do que ver em Imperia é a Villa Grock. Trata-se da casa bizarra que foi residência do palhaço mais famoso do mundo, Grock! Hoje em dia lá funciona o Museu do Palhaço e é um lugar eclético, com estilos que lembram um pouco o de Dalì. Além disso, por lá passaram nomes como Picasso e Charles Chaplin. Durante a minha visita a Imperia e a escrita deste artigo, o casarão estava fechado para reformas. Por isso, caso deseje visitá-lo, confira antes os detalhes no site do museu.

 

Como chegar a Imperia

Imperia dista 120km de Gênova e 84km de Nice.

Trem: A estação ferroviária de Imperia fica a 10 minutos a pé da beira mar de Oneglia.

Carro: Por Imperia passa a autoestrada A10 que liga Gênova a Ventimiglia. Saia em Imperia Est (Oneglia) ou Imperia Ovest (Porto Maurizio). Também é possível chegar pela Via Aurelia, que ladeia o mar e passa por dentro das diversas cidades litorâneas da Ligúria (não indico, pois há muito trânsito). Você pode deixar os carros nos mais diversos estacionamentos da cidade (utiliza o Google Mapas para localizá-los), onde há faixas azuis (a pagamento) ou brancas (gratuitas).

 

Enfim, agora você sabe o que ver em Imperia em um dia, só precisa começar a explorar esta bela cidade da Ligúria!

 

Para salvar no Pinterest!

Categorias
Passeios

O Castelo d’Albertis e o Museu das Culturas do Mundo

O Castelo d’Albertis, em Gênova é uma residência histórica onde atualmente funciona o Museu das Culturas do Mundo. Trata-se de um lugar bem interessante, porém pouco visitado, uma vez que fica fora do circuito turístico padrão de Gênova. O castelo está situado no bairro de Castelletto, uma zona alta, porém a poucos minutos a pé da estação Piazza Principe.

O Museu das Culturas que se encontra no Castello d’Albertis é bem diferente dos outros museus de Gênova. De fato, ele é o resultado das experiências de viagem do Capitão Enrico Alberto D’Albertis, que viveu no castelo entre 1889 e 1932.

 

A história de um grande viajante

Nascido em uma família rica em 1846, o Capitão Enrico Alberto d’Albertis era aquele tipo de pessoa que hoje em dia dizemos que tem “rodinha nos pés”. De fato, ele cultivou suas paixões e o desejo de conhecer o mundo primeiro na Marinha, depois na navegação comercial, até escolher viajar por conta própria. Curioso por natureza, ele aproveitou suas viagens para aprofundar seus conhecimentos em botânica, arqueologia, história da arte, geografia e muitas outras áreas, demonstrando uma cultura eclética e muito ampla.

Além de muito culto, Enrico também era um personagem empreendedor, um verdadeiro explorador genovês. Por exemplo, em 1877 deu a primeira volta ao mundo com seu barco, o Violante. Depois dessa, ele fez inúmeras outras viagens tanto por mar quanto por terra, e em uma delas refez a rota de Cristóvão Colombo.

Por fim, em 1886 comprou o bastião de Montegalletto (séculos XIII e XIV) destinado à demolição. Ali ele construiu sua residência, o Castelo d’Albertis.

o que ver em genova

O Castelo d’Albertis foi construído no estilo do renascimento gótico, lembrando os palácios de Florença e os castelos do Vale de Aosta, que Enrico tanto admirava. Além disso, o castelo absorveu parcialmente os restos de uma antiga muralha e de uma das torres originais.

Embora Enrico Albertis viajasse muito, ele também gostava de curtir sua “casa”. Ali ele continuou a cultivar as suas paixões e as suas muitas amizades (políticos, antropólogos, naturalistas, arqueólogos e intelectuais). Além disso, não deixou de escrever sobre suas viagens, colecionar milhares de fotografias e desenhar mais de 100 relógios de sol de todo o mundo.

Após a morte do capitão Albertis, em 1932, o castelo foi doado à cidade de Gênova. Posteriormente, o complexo foi restaurado e transformado em um museu.

Museu para visitar em Gênova

A visita ao Castelo d’Albertis

Antes de mais nada, você pode visitar o parque do castelo e a área externa sem ter que pagar o ingresso do museu. Isso porque o bilhete é para visitar as salas e as exposições.

O jardim do castelo é repleto de palmeiras, você pode desfrutar de uma bela vista de parte da cidade e do mar. O castelo também tem um bar com mesas ao ar livre, onde você pode tomar uma bebida ou comer algo.

castelo em gênova
Você pode ir ao bar do Castelo d’Albertis ou passear pelo jardim sem ter que pagar o ingresso.

As salas do Museu das Culturas do Mundo

O museu exibe móveis, decorações, objetos de coleção e achados arqueológicos coletados por Enrico e Luigi Maria d’Albertis durante suas viagens à África, Américas, Nova Guiné e Oceania. Há também armas do Sudão e Zambia, bem como miniaturas de navios, instrumentos de navegação, cartas, fotos pessoais, etc.

As escadas são decoradas com uma coleção de espadas ao longo de todos os lances

Os quartos que fazem parte do apartamento do capitão mostram claramente as suas paixões. Por exemplo, a Sala das Meridianas foi reconstruída seguindo a orientação do sol. Há também muitas referências a Cristóvão Colombo, que nasceu em Gênova, e era um personagem muito admirado pelo capitão.

Veja na parede as 3 caravelas, Santa Maria, Pinta e Nina. Embaixo delas 3 brasões, sendo aquele central o usado por Colombo.

A sala turca, por sua vez, expressa muito bem a paixão pelas influências do Oriente Médio, como era a moda do final do século XIX. De fato, os estilos árabe, indiano e turco tiveram muitos adeptos na época e fascinaram o capitão desde suas primeiras viagens, como a da inauguração do Canal de Suez, na qual participaram pessoas de vários países.

Castelo d'Albertis em Gênova
A sala turca

Por fim, em uma ala separada do Museu se encontra uma coleção dedicada à música (Museo delle Musiche dei Popoli / Museu de música folclórica), com instrumentos musicais de diferentes partes do mundo.

lugares para ver genova do alto
E a vista que se tem do castelo é linda!

Sem dúvida, se você tem curiosidade em conhecer objetos antigos de outras culturas, vale a pena visitar o museu do Castelo d’Albertis. Além disso, sempre há exposições fotográficas temporárias e eventos culturais. Para conhecer a programação, visite o site do museu.

 

Como chegar ao Castelo d’Albertis

castelo em Gênova

O Castelo d’Albertis fica a 10 minutos a pé da estação Piazza Principe, portanto você pode tê-la como ponto de referência. Por outro lado, se você se encontra no centro de Gênova, como na área da Piazza De Ferrari ou Brignole, pode pegar o ônibus 40 e descer na parada Dogali2/Bassi.

O castelo fica no Corso Dogali, n° 18.

 

Ingressos e horários de funcionamento

O Castelo d’Albertis abre de terça a sexta, das 10 às 17h. Aos sábados e domingos, funciona das 10 às 18h.

O ingresso inteiro custa 6 euros. Crianças de 5 a 12 anos e maiores de 65 anos (cidadãos da UE) pagam € 4,50. Crianças de 0 a 4 anos não pagam.

Veja mais informações no site do museu.

 

 

Categorias
Compras

Loja Eataly de Gênova – uma ótima experiência gastronômica

Visitar a Eataly de Gênova significa viver uma incrível experiência culinária, em um local onde é possível apreciar tradições e comida italiana. Mas além disso, é onde as pessoas podem comprar e provar uma grande variedade de alimentos e bebidas de alta qualidade por um bom preço.

Por isso, mesmo que sua parada na cidade seja rápida, por exemplo em uma escala de cruzeiro, aproveite para dar uma passadinha lá e comprar alguns produtos típicos italianos.

 

Onde fica e como chegar à Eataly de Gênova

A loja Eataly de Gênova fica no Porto Antico, entre o histórico Galeão dos Piratas e o moderno aquário, tornando-se um ponto estratégico para turistas em um cruzeiro, visitantes e, sobretudo, moradores da cidade.

Ela fica a poucos metros da estação de metrô San Giorgio, bem como da Piazza Caricamento, onde param ônibus urbanos provenientes de diversos pontos da cidade.

Enfim, se você estiver hospedado em um hotel no centro, tenha sempre como ponto de referência o Porto Antigo e o Bigo, o elevador panorâmico. A Eataly fica em frente. Não tem erro!

o que é a eataly
Dá para ver o Porto através dos janelões.

O que é a Eataly?

Nascida em Turim, hoje a Eataly representa um formato universal atraente para todos os países interessados ​​na grande cultura da comida. Sem dúvida, Eataly é uma ideia inovadora e revolucionária que representa os produtos típicos italianos. 

Na verdade, é muito mais que uma loja: há restaurantes, cafés e bares. Além disso, há muita agricultura italiana e também um espaço para aulas de culinária. Você pode comprar produtos gourmet caseiros e comê-los diretamente no local.

Em suma, é um ponto de encontro entre comida italiana de qualidade e uma forma inovadora de distribuição, um lugar onde compras, almoço e jantar são combinados com oportunidades de aprendizado.

Eataly de Genova

A loja Eataly de Gênova

Antes de mais nada, a Eataly de Gênova tem uma linda vista para o Porto Antigo. Em uma área de 1600m², ela abriga dois restaurantes, mercados de carnes, peixes e vegetais, bem como uma área de degustação de queijos, um café e uma loja de chocolates. Lá também se oferece aulas de culinária e possibilidades de degustação.

A entrada se dá por meio de um elevador panorâmico, uma vez que a loja fica no 1º andar do edifício. O visual é realmente muito bonito, e dá para apreciar a vista para o Porto Antigo e o Bigo de Gênova. Neste mesmo andar fica o Bistrô Anciôa. No 2º andar, por sua vez, se encontra o restaurante exclusivo, o Il Marin.

onde comprar vinhos em genova

A loja oferece uma ampla variedade de alimentos e produtos tipicamente italianos. Eles podem ser comprados e levados para casa, ou consumidos nas áreas apropriadas, tornando-se não apenas um local de encontro para gourmands, mas também um local onde os moradores da cidade podem fazer compras ou saborear uma refeição de alta qualidade.

 

 

O restaurante Il Marin

Com uma vista panorâmica incrível, o Il Marin é um dos dois restaurantes da Eataly de Gênova. Em síntese, trata-se de um restaurante de alta gastronomia, que oferece pratos sofisticados, e propõe clássicos da culinária da Ligúria em versão moderna. O cardápio se baseia em pratos à base de peixes e frutos do mar. Além disso, há duas opções de menu degustação, cujo valor fica entre 60 e 75 euros por pessoa, mas também há o menu à la carte.

Bistrô Anciôa: o outro restaurante da Eataly de Gênova

Antes de tudo, o Anciôa é um restaurante que fica aberto apenas entre abril e o final de setembro, o que é chamado de restaurante temporário. Ele é pequenininho e tem também um terraço muito panorâmico.

O Anciôa é exatamente o oposto do Il Marin, tanto na posição, quanto nos pratos que oferece. Embora seja também comandado pelo mesmo chef, está mais para uma trattoria, com porções maiores e pratos típicos clássicos. O menu é muito simples, e quase tudo é à base de peixe. De fato, “Anciôa” significa “anchova” no dialeto da Ligúria, e este peixe também é proposto em diversas versões.

 

 

Gostou? Salva no Pinterest!

Categorias
Passeios

Nervi, Gênova: Dicas do que ver

O bairro de Nervi, em Gênova, é um dos lugares mais charmosos da cidade. Trata-se de um bairro residencial localizado no extremo leste de Gênova. Além disso, Nervi tem a particularidade de ser um bairro litorâneo e com um parque incrível.

Nervi foi um município independente até 1926, quando passou a fazer parte de Gênova, mas o lugar tem origens antigas. De fato, um primeiro povoado que foi construído ali no início do século I e era uma estação para parar e trocar cavalos.

Ao longo dos séculos a vila foi se expandindo e durante os séculos XVII,XVIII e XIX tornou-se muito popular através da nobreza genovesa que escolheu Nervi para construir seus palacetes residenciais.

LEIA TAMBÉM  Boccadasse, o bairro mais charmoso de Gênova

O que ver e fazer no bairro de Nervi

Se você pretende passar dois ou mais dias em Gênova, eu aconselho colocar Nervi no seu roteiro. O lugar é realmente encantador e parece que você está em uma vila de pescadores, e não em uma cidade grande como Gênova!

Passeggiata Anita Garibaldi

O passeio começa no cais de Nervi e chega ao antigo porto de Capolungo com uma extensão total de cerca de 2km.

O calçadão era originalmente um antigo caminho que, a partir de 1823, foi utilizado por pescadores e agricultores da zona para chegarem aos barcos ou aos terrenos agrícolas que então margeavam o mar.

A paisagem deslumbrante, especialmente a costa rochosa de Nervi, bem como a vista da península de Portofino, convenceram o marquês Gaetano Gropallo a construir um novo passeio público. A primeira parte ligava o pequeno porto de Nervi à antiga torre Gropallo, enquanto a segunda, construída em 1872, ligava a Serra Gropallo a Capolungo.

O passeio é dedicado a Anita Garibaldi, esposa de Giuseppe Garibaldi. É um percurso maravilhoso, perfeito para uma caminhada ou para chegar aos restaurantes panorâmicos com vista para o mar.

 

A marina

O que hoje é a marina de Nervi, já foi uma enseada natural. A pequena baía é cercada pelas típicas casas coloridas da Ligúria e repleta barcos de pescadores. De fato, parece um cartão postal de uma vila.

Além disso, nas noites de verão, as discotecas que rodeiam a praia são o ponto de encontro dos jovens do bairro e dos que vêm de toda a Gênova para tomar uma cerveja na beleza de um cenário único.

 

O Parque de Nervi

Certamente o parque mais bonito de Gênova, o Parque de Nervi é formado por série de jardins que antigamente pertenciam aos palacetes nobres.

A Villa Grimaldi é um dos palacetes nobres localizados dentro do Parque de Nervi

 

Ele abrange uma área de cerca de 92.000 m² e lá denteo é possível encontrar espécies botânicas muito especiais, algumas de interesse monumental. A clássiva vegetação mediterrânea se mistura com plantas exóticas e tropicais. Por exemplo, pode-se ver uma planta de pimenta crescendo à sombra dos pinheiros bravos e as palmeiras compartilhando a terra com cedros, oliveiras e oleandros. Sem dúvida é uma maravilha para todos os sentidos.

O Parque de Nervi é o lugar perfeito para um piquenique e também para relaxar e respirar ar puro. Além disso, se você viaja com crianças, há um parquinho para elas correrem e se divertirem!

Por fim, no parque de Nervi há um jardim de rosas. É um lugar muito romântico, especialmente na primavera, quando as flores estão em plena floração e tudo fica colorido como em uma pintura impressionista. O roseiral nasceu em 1981 e abrigava cerca de 800 espécies diferentes de rosas! Infelizmente, hoje em dia resta menos de 1/3, mas o espetáculo ainda é único!

Bairro de Nervi

O Parque de Nervi é um parque público e a entrada é gratuita.

 

Comer uma focaccia na Focacceria Buon Appetito

A Focacceria Buon Appetito é uma das minhas preferidas em Gênova. A poucos passos da estação (saindo, vire à esquerca pelo caminho que leva ao calçadão), a Focacceria Buon Appetito é o lugar certo para fazer um lanche. Não há mesas, mas você pode comprar seu pedaço de focaccia e ir comê-la olhando o mar ou ir até o parque e saboreá-la sentado no gramado. As focaccias de lá são uma delícia!

Bairro de Nervi
A focacceria Buon Appetito

 

Como chegar ao bairro de Nervi em Gênova

De carro: autoestrada A12, pegando a saída para Genova Nervi e seguir as indicações para o centro da cidade. Você também pode chegar a Nervi pela estrada estadual SS1 Aurelia. Há uma área de estacionamento na frente da estação (faixas azuis)

Trem: a estação ferroviária Genova Nervi é muito importante e inúmeros trens param lá. É um modo fácil e prático de ir a Nervi e se você sai das estações de Principe ou Brignole, a viagem dura cerca de 15/20 minutos.

Ônibus: linhas 15, 17, 31.

Se você for a Nervi no período da tarde, tente ficar até o pôr do sol!
Categorias
Passeios

Piazza De Ferrari em Gênova: história e curiosidades

A Piazza De Ferrari é um dos cartões postais de Gênova. Ela é famosa por sua imponente fonte e os importantes palácios que a circundam. Assim sendo, vamos conhecer um pouco mais sobre este imperdível ponto turístico de Gênova?

Toda grande cidade que se preze tem pelo menos um lugar especial, capaz de ser um ponto de referência para quem ali vive por sua localização, charme, forma e características. No caso de Gênova, este lugar é, sem dúvida, a Piazza De Ferrari, a maior e mais bonita praça da capital da Ligúria.

Além disso, nas proximidades da Piazza De Ferrari ficam inúmeros edifícios de escritórios, sedes de bancos, seguradoras e outras empresas privadas, tornando esta área o centro financeiro e comercial de Gênova.

De pracinha a ponto de referência para a população

Onde hoje fica a praça, antigamente havia um largo de forma triangular que levava o nome da igreja de San Domenico, demolida na década de 1820 para a construção do Teatro Carlo Felice. Além disso, havia ainda uma pequena colina circundado por palacetes.

No entanto, entre os séculos XIX e XX decidiu-se abrir uma passagem, demolir alguns edifícios e aplanar a colina, com o objetivo de criar um espaço público para encontros culturais e sociais. Ali foi realizado até o final do século XIX um mercado.

A Piazza De Ferrari como a conhecemos hoje é coisa mais “recente”. A bacia de bronze é uma obra do arquiteto Giuseppe Crosa di Vergagni e foi doada em 1936 por Erasmo Piaggio, que em vida manifestou o desejo de deixar algo duradouro como um presente para a cidade. De fato, na bacia mais interna é possível ver a frase “Tenace afetto di Ligure, superando il destino, alla sua città donava” (tenaz afeto de lígure, superando o destino, à sua cidade doava).

No entanto, essa doação do Piaggio era muito grande e foi bem complicado levá-la até a praça. De fato, devido ao tamanho, era impossível passar pelas vielas do centro histórico. Foi então necessário fazer um percurso bem mais longo, passando pelas ruas mais largas de Gênova.

Entre os anos 90 e 2000, a Piazza De Ferrari foi totalmente restaurada e hoje em dia podemos admirá-la em todo o seu esplendor.

 

piazza de ferrari
Instalação com o logo oficial de promoção turística da cidade de Gênova – Genova More Than This. Ele foi colocado na Piazza De Ferrari em 2016 e desde então faz parte dos selfies dos inúmeros turistas e locais que passam por ali. Não deixe de fotografá-lo você também!

 

Próximo a Piazza De Ferrari

Os museus e outros lugares interessantes que se encontram ao redor da Piazza De Ferrari são os seguintes:

  • Palazzo Ducale onde há sempre exposições.
  • Palácio da Accademia liguistica di Belle Arti: Um dos museus de belas artes de Gênova.
  • O Teatro Carlo Felice: Onde é possível assistir a óperas, concertos e balés.
  • O Edifício da Bolsa de Valores, construído em 1912 pelo arquiteto Alfredo Coppedè.
  • O Palácio do Duque de Galliera, Raffaele De Ferrari, ao qual a praça é dedicada.

 

Categorias
Informações Gerais

Onde fica Gênova no mapa da Itália?

Gênova é uma das principais cidades da Itália. Além disso, é uma cidade portuária, considerada uma das mais industrializadas e com grande poder econômico no país.

A cidade tem uma população de cerca de 600.000 habitantes, que somada àquela da região metropolitana, chega a cerca de 900.000.

“Imprensada” entre o mar e as montanhas, Gênova é uma cidade “longa e fina”, estendendo-se por 30 km, dos bairros de Voltri a Nervi. Por causa disso, desta forma alongada, a região é dividida em Riviera di Ponente (a oeste do centro) e Riviera di Levante (a leste do centro).

Onde fica Genova
Mapa da região Liguria, dividida em quatro províncias.

 

Mas onde fica Gênova?

Gênova fica no noroeste da Itália e é a capital da região da Ligúria. Esta região faz divisa com a Toscana, Piemonte e Emília-Romanha, bem como fronteira com a França.

Onde fica Gênova

Informações Gerais sobre Gênova

Região onde fica Gênova: Ligúria
Localização: Norte da Itália
Área: 243 km² (apenas a cidade de Gênova)
Códigos postais: 16121–16338
Códigos de área: +39 (Itália) e 010 (telefones fixos de Gênova)
Clima: Subtropical úmido, com invernos amenos porém chuvosos e verões ensolarados.

Lugares de interesse em Gênova

O local de interesse mais importante é o centro histórico de Gênova, onde está localizada a Piazza de Ferrari. Ali possível ver a Ópera, o Palácio Ducal, bem como a casa onde nasceu Cristóvão Colombo. A “Strada Nuova” (agora Via Garibaldi) faz parte do Patrimônio Mundial da UNESCO desde 2006. De fato, esta parte da cidade antiga foi habitada, durante o século 16, pelas famílias mais poderosas da cidade.

Os edifícios históricos são: Palazzo Rosso, Palazzo Bianco, Palazzo Grimaldi e Palazzo Reale. Outros lugares famosos são a Catedral de San Lorenzo, o Cemitério Staglieno e o Museu de Arte Oriental, que abriga uma das maiores coleções da Europa.

Orgulho de Gênova também é o grande aquário localizado no Porto Antigo e ‘La Lanterna’, o farol mais antigo do mundo.

Por fim, também é imperdível o pitoresco bairro de Boccadasse.

Categorias
Curiosidades

Cristóvão Colombo: de Gênova para o mundo

Além do pesto, Gênova tem outro bem conhecido “produto de exportação”: o famoso explorador Cristóvão Colombo nasceu aqui, em 1451.

Pelo menos é o que o próprio Colombo sempre mencionou durante sua vida. Por exemplo, ele deixou claro em seu testamento que Gênova era seu local de nascimento. Além disso, ele também deixou apenas pertences de amigos desta cidade.

Colombo tinha muito carinho por sua cidade natal. Durante uma de suas viagens, ele escreveu a um banqueiro espanhol: “Embora meu corpo esteja aqui, meu coração está sempre lá (em Gênova)…”

 

Dúvidas sobre as origens de Cristóvão Colombo

Apesar disso, muitas pessoas duvidavam de suas origens. De fato, no século XX, vários pesquisadores hipotizaram que Colombo havia mentido sobre sua terra natal. Dessa forma, uma verdadeira batalha explodiu sobre as raízes desse explorador.

Casa de Colombo
Ruínas da casa de Colombo, em Gênova. Foto: WikiCommons

 

Alguns pesquisadores afirmam que Colombo era descendente de catalães. Segundo outros, ele era filho de um nobre bizantino que vivia em Quios, hoje pertencente à Grécia, mas naquele tempo sob a administração de Gênova. Enfim, um terceiro grupo de pesquisadores acredita que Colombo é da vila de Cuba, no Alentejo, em Portugal. Dessa forma, ele teria nomeado a ilha de Cuba em homenagem ao seu local de nascimento.

No entanto, os italianos fazem tudo o que podem para provar que Gênova é realmente o local de nascimento de Colombo. Felizmente, além das próprias palavras de Colombo, também existem fontes independentes que mencionam Gênova como seu local de origem. Por exemplo, existe um ato notarial de 1496, no qual três irmãos Colombo comprometem-se a pagar um terço da quantia que um deles precisa para uma viagem à Espanha para conhecer Cristóvão Colombo, almirante do rei da Espanha.

Também foi encontrada uma troca de cartas entre os banqueiros e genoveses sobre o legado de Colombo, nas quais o navegador menciona claramente sua herança genovesa.

Portanto, não há dúvida entre historiadores especializados sobre sua origem, nem entre os próprios genoveses. Eles orgulhosamente mostram a casa onde nasceu Colombo, assim como a enorme estátua em sua homenagem.

 

Monumento a Cristóvão Colombo em Gênova

Na segunda metade do século XIX, foi erguido um monumento ao  filho mais conhecido da cidade de Gênova. Ele olha para o mar e se apóia em uma âncora, uma virgem nua – América – com touca de penas aos seus pés. As inscrições diziam:

Obra de numerosos artistas, o monumento teve uma gênese conturbada: a primeira pedra foi lançada em 1846 e depois 15 anos se passaram antes de ser concluída.

cristovao colombo
Monumento a Cristóvão Colombo, em Gênova

Suas primeiras fundações foram colocadas no centro da Piazza Acquaverde, mas depois houve um progresso que afetou o local: a ferrovia tinha que ser construída e acreditava-se que nosso Cristóvão Colombo lá no meio teria sido um obstáculo, então decidiu-se colocá-lo no local onde ainda vemos isso agora.

Ele descobriu um novo mundo e
conectou ao antigo para benefício eterno.
Para Cristóvão Colombo
A pátria

O que será que levou Colombo embora de Gênova? Curiosidade, inquietação, insatisfação com a situação da sua vida? Nunca saberemos a resposta, mas a pergunta permanece intrigante…

 

Para salvar no Pinterest

Categorias
Informações Gerais

Como é o clima em Gênova

Saber as condições do clima em Gênova no mês da sua viagem é algo fundamental para planejar bem um roteiro. Veja a seguir a previsão do tempo em Gênova, como é o clima durante o ano por aqui e dicas do que colocar na mala.

 

Tempo em Gênova: previsão para esta semana

O dia da sua viagem está chegando? Veja a previsão do tempo em Gênova para os próximos dias.


Clique AQUI para ver a previsão do tempo em Gênova nos próximos 15 dias.

 

Clima em Gênova

O clima de Gênova é classificado entre clima subtropical úmido e clima mediterrâneo, com invernos suaves (neva raramente), verões quentes, mas não escaldantes.

Além disso, as temperaturas médias em Gênova variam muito. Considerando a umidade, as temperaturas são agradáveis na maior parte do ano, exceto algumas semanas frias no inverno.

Assim sendo, se você está procurando a época mais quente para visitar Gênova, os meses mais quentes são julho, agosto e setembro. Veja abaixo as temperaturas médias mês por mês.

clima em Gênova

 

Quando vir para Gênova?

O melhor período para visitar Gênova é entre abril e setembro. A escolha do mês dependerá do tipo de roteiro que irá fazer.

  • Gênova em dezembro, janeiro, fevereiro, março: Se comparado com outras cidades do norte da Itália, o inverno em Gênova é relativamente ameno, mas chuvoso, com pouco sol e muito vento.
  • Gênova em abril e maio: temperaturas mais quentes e menos chuvas. Um período agradável para descobrir a cidade, porém ainda não é hora de pegar praia.
  • Gênova em junho, julho, agosto, setembro: O verão é quente e relativamente úmido. Julho é o mês mais seco, a temperatura da água é mais quente em agosto. Este é o momento ideal para aproveitar o litoral da Ligúria, por isso não deixe de colocar na mala roupa de banho.
  • Gênova em outubro e novembro. Temperaturas mais baixas durante os dois meses mais chuvosos do ano. Ao vir para Gênova neste período, coloque na sua mala um guarda-chuva e um impermeável!

 

É bom saber também:

  • O vento sopra muito forte em Gênova, principalmente no inverno.
  • Considerando o grande volume de chuvas, é preferível providenciar guarda-chuva e capa de chuva caso viaje nos meses de outubro e novembro. Para que tenha uma ideia, as piores enxentes de Gênova ocorreram justamente nessa parte do ano.

 

Categorias
Curiosidades

São João Batista: o Santo Padroeiro de Gênova

Dia 24 de junho é o dia de São João Batista, padroeiro de Gênova.

Uma festa religiosa profundamente sentida, pois São João é o padroeiro de Gênova há muito tempo e suas relíquias foram trazidas para cá há vários séculos.

 

Por que São João é o Padroeiro de Gênova?

A história nos leva a tempos distantes, ao período das Cruzadas, quando o fervor religioso e o interesse místico pelas relíquias estavam enraizados e o costume de trazer os restos sagrados dos santos para o Ocidente era algo comum.

E assim, em 1098, os bravos genoveses chegaram à cidade de Mira em busca de certas relíquias, as de São Nicolau. Infelizmente, alguém chegou antes deles e os restos do santo já tinham sido levados para Bari.

Os genoveses, no entanto, não desistiram. Em um mosteiro encontraram outras relíquias sagradas e, quando souberam que pertenciam a São João Batista, tomaram posse delas.

E os historiadores narram que, para levar as cinzas de São João para Gênova, decidiram dividí-las em diferentes navios.

Durante a viagem, o mar traiçoeiro se enfureceu, as ondas batiam violentamente nos cascos dos navios e a tempestade se acalmou apenas quando as cinzas de São João foram reunidas em apenas um dos navios, o Galea Capitana.

Segundo a lenda, em 1391, uma tempestade terrível ameaçou causar a destruição dos navios ancorados no porto de Gênova. Porém, quando a arca com cinzas sagradas foi levada em procissão até o litoral, o mar milagrosamente se acalmou.

E assim, a partir de então, passou-se a pedir a proteção a São João sempre que a violência das ondas se tornasse uma ameaça ao porto e à cidade de Gênova, e estabeleceu-se o costume de levar as cinzas do santo para o mar.

Padroeiro de Gênova
Na Catedral de Gênova: João Batista, precursor de Cristo

São João Batista: curiosidades, lendas e história do santo padroeiro de Gênova

São João Batista tornou-se padroeiro de Gênova em 1327. Desde então a cidade comemora seu dia com festas e celebrações e sugestivas.

Antigamente, fogos e fogueiras eram acesos, as chamas em homenagem a São João eram ardiam nas praças e nos montes de Gênova, dando um novo sentido a uma tradição que vê suas origens em certos ritos pagãos, uma vez que era costume acender os fogos para manter as bruxas afastadas.

Os devotos de São João em Gênova acendiam velas em cima de frágeis lanternas de papel, que depois eram colocadas no mar.

E ainda, conta ao historiador Michelangelo Dolcino, que em épocas distantes acreditava-se que o orvalho da noite de São João tinha virtudes prodigiosas e, por exemplo, em certos lugares, as roupas dos bebês eram expostas ao sereno para torná-los imunes a doenças.

Na Piazza di San Lorenzo eram vendidas “bençãos”, folhas de nogueira e sabugueiro embebidas no orvalho milagroso da noite de 24 de junho.

Padroeiro de Gênova

O São João em Gênova hoje em dia

Ainda hoje, fogueiras são acesas e as chamas ardem na noite de São João. O padroeiro de Gênova ainda é celebrado com uma procissão solene e as cinzas do santo são conduzidas em frente ao mar, acompanhadas por representantes das Confraternidades.

Papas e personalidades importantes já vieram prestar homenagem ao Batista nos séculos passados. Até mesmo o

Barba Ruiva doou um precioso estojo de prata, o qual está guardado no Museu dos Tesouros de San Lorenzo.

A bela procissão começa na Catedral, atravessa as ruas da velha Gênova e culmina com as bênçãos do mar e da cidade.