Categorias
Curiosidades

Ligúria: 16 curiosidades sobre esta região da Itália

Ligúria é sinônimo de mar, montanhas, bom vinho, excelente comida, história e charme. Uma simples faixa de terra cercada pelas montanhas e pelo azul profundo do mar, a Ligúria nos maravilha com seus incríveis parques naturais e uma ampla variedade de paisagens impressionantes e lugares curiosos para descobrir.

Veja então 16 curiosidades sobre a Ligúria!

 

1. A Ligúria é uma das menores regiões da Itália

Onde fica Genova

Cobrindo uma área de 5.420 km2, a Ligúria, cuja capital é Gênova, é a terceira menor região da Itália (fica atrás apenas do Vale d’Aosta e do Molise). No entanto, como diz o ditado, os melhores perfumes estão nos pequenos frascos e este é certamente o caso desta região linda.

Além disso, a Ligúria é dividida em quatro províncias: Gênova, Savona, Impéria e La Spezia.

 

2. Faz fronteira com a França

Fronteira entre Itália e França em Ventimiglia

Se você olhar o mapa da Itália, verá que a Ligúria faz fronteira com a França. De um lado está a cidade de Ventimiglia e do outro, Menton, hoje cidade francesa, mas que antigamente fazia parte da República de Gênova.

 

3. É na Ligúria que ficam as Cinque Terre

Vernazza, uma das “cinco terras”

Sem dúvida, uma das atrações mais famosas da Itália são as Cinque Terre (cinco terras), isto é, cinco pequenas vilarejos: Corniglia, Manarola, Monterosso al Mare, Riomaggiore e Vernazza. E elas ficam na Ligúria!

Durante anos, cada uma dessas comunidades permaneceu praticamente intocada pelo turismo, tornando-as alguns dos locais mais autênticos para visitar na região, mas hoje em dia recebem turistas do mundo inteiro.

 

4. Uma das Repúblicas Marítimas da Itália

Bandeira de Gênova
Bandeira da República de Gênova, com a cruz de São Jorge. Ela continua sendo a bandeira de Gênova.

Durante os séculos IX e X, as costas da Europa Mediterrânea, em particular a Itália, estavam sob constante ataque de invasores e piratas muçulmanos. Para se defender dessas ameaças, as cidades da Itália começaram a desenvolver marinhas poderosas.

As quatro Repúbicas Marítimas mais potentes e importantes eram Amalfi, Pisa, Gênova e Veneza. A República Marírima de Gênova foi a terceira a se estabelecer, e a partir do século X ficou famosa pela Compagna, uma grande associação de comerciantes e marinheiros que governavam a cidade e administravam os bens do Conselho. Após a batalha contra Pisa, no século XIII, tornou-se a maior potência do mar Tirreno e do Mediterrâneo ocidental. Mas a rivalidade com Veneza marcou seu fim no século XIV: após quase duzentos anos de guerra, Gênova foi forçada a reconhecer a supremacia de Veneza.

 

5. Tem o maior porto da Itália

Porto de genova

Com seus 700 hm² de área no solo e 22 km de docas, o Porto de Gênova é o maior porto da Itália no que diz respeito às dimensões. É em Gênova que ficam as sedes dos grandes construtores navais italianos.

O porto de Gênova tem uma grande relevância já desde o século XII, quando as rotas comerciais no Mar Mediterrâneo cresceram e a cidade se tornou uma potência no comércio de itens de luxo vindos do Oriente.

 

6. E também o maior Aquário

Uma medusa do Aquário de Gênova

Inaugurado em 1992, o Aquário de Gênova é o maior aquário da Itália e o segundo maior da Europa. Com seus 70 tanques e cerca de 15.000 animais de mais de 600 espécies diferentes, a estrutura reproduz ambientes marinhos de importância excepcional, como os do Mar Vermelho, do Mediterrâneo e do Oceano Pacífico. O projeto tem a assinatura oficial do arquiteto Renzo Piano.

 

7. É possível observar baleias

A costa da Ligúria é o lar de várias espécies aquáticas, das quais as mais comuns são as baleias cachalote. Para muitos amantes da vida selvagem, a observação de baleias é uma atividade única na vida que não deve ser desperdiçada.

Consequentemente, os visitantes podem fazer passeios especiais de barco a partir de vários locais ao longo da costa para desfrutar de um dia ou tarde de observação de baleias, onde um biólogo marinho fica à disposição para fornecer informações extras sobre as baleias e seus habitats.

 

8. Sua capital é tutelada pela Unesco

O centro histórico de Gênova é lugar de esplêndidos tesouros históricos, artísticos e arquitetônicos. Embora os novos edifícios tenham acrescentado um toque contemporâneo, grande parte da cidade ainda é constituída por edifícios antigos e monumentos valorizados tanto por moradores quanto por visitantes.

Um desses lugares é Strade Nuove, uma área antiga onde ficam os Palazzi dei Rolli, um grupo de residências históricas construídas ao longo dos séculos XVI, XVII e XVIII e inseridos na lista de Patrimônios da Humanidade da Unesco.

Esses palácios, com sua elegância, representavam a grandeza de Gênova aos olhos do mundo e faziam parte dos registros da cidade (os rolli) através dos quais as residências eram escolhidas onde hospedar os ilustres convidados em visita de estado.

LEIA TAMBÉM  7 Coisas sobre Gênova que talvez você não saiba

 

9. A Ligúria é a pátria do pesto!

Vendedor de pesto de manjericão

A Ligúria, mais especificamente Gênova, é a pátria do pesto de manjericão, o famoso pesto genovese. O nome deste molho deriva do método de preparação original: o esmagamento (em italiano o verbo pestare significa pisar, esmagar) das folhas e outros ingredientes no tradicional pilão de mármore.

O pesto em sí tem origens no Império Romano, mas a receita original do pesto genovese remonta à segunda metade do século XIX, obra de Giovanni Battista Ratto que o descreveu em seu livro de receitas denominado La cuciniera Genovese.

 

10. Cristóvão Colombo nasceu na Ligúria!

Casa de Colombo
Ruínas da casa de Colombo, em Gênova. Foto: WikiCommons

Você sabia que o grande navegador nasceu em Gênova? Há documentos que atestam que ele nasceu na capital da Ligúria, em 1451.

Embora existam várias teorias sobre o local de nascimento de Colombo (há quem diga que ele era catalão, outros juram que ele era português), graças a um ato notarial, ao testamento e a uma troca de cartas entre banqueiros de Gênova e Colombo, pode-se afirmar que ele realmente nasceu em Gênova.

Próximo à Porta Soprana, em Gênova, nos arredores das antigas muralhas medievais, fica a chamada Casa de Cristóvão Colombo. É provavelmente uma reconstrução, datada do século XVIII, do edifício medieval original, no qual o descobridor das Américas viveu em sua juventude.

LEIA TAMBÉM  Cristóvão Colombo: de Gênova para o mundo

 

11. E o jeans também!

Curiosidades sobre Genova

Sim, eu sei que parece estranho, mas é verdade! Certamente você está pensando na Levi Strauss & Co, Lee e Wrangler, que são todas marcas americanas e históricas. No entanto, o jeans tem origens na Ligúria.

A primeira menção remonta ao século XVI, na cidade de Gênova, mais precisamente no porto antigo, onde essa tela azul foi criada e usada para a fabricação de velas de navios e lonas, pois é muito resistente, durável e facilmente lavável.

O termo “jeans” apareceu pela primeira vez em 1795, quando um banqueiro suíço chamado Jean-Gabriel Eynard e seu irmão Jacques foram para Gênova e começaram um comércio de tecido. Em 1800, as tropas de Massena entraram na cidade e Jean-Gabriel foi encarregado de seu suprimento. Em particular, ele lhes forneceu uniformes realizados com um tecido azul chamado “bleu de Genes”, de onde mais tarde deriva a famosa roupa conhecida mundialmente como “Blue Jeans”.

Uma curiosidade: As primeiras cidades onde o tecido jeans foi produzido foram Gênova e Nîmes, na França. Em Nîmes, os franceses tentaram reproduzir o mesmo tecido produzido em Gênova, mas ao invés disso eles desenvolveram um tecido diferente, apesar de bastante semelhante. Tornou-se conhecido como “denim”, palavra que que vem do francês “de Nîmes”.

 

12. Onde acontece o Festival de Sanremo

curiosidades sobre a Ligúria
Andrea Bocelli no Festival de Sanremo de 1994

 

É na Ligúria que acontece o Festival de Sanremo, o mais famoso festival de música italiano. Ele acontece todos os anos, desde 1951, e já revelou ao mundo artistas que se tornaram famosos mundialmente, como Andrea Bocelli e Laura Pausini.

Além disso, também já participaram do Festival de Sanremo artistas brasileiros, como Toquinho e Roberto Carlos, sendo este o único brasileiro a vencer o festival, no ano de 1968, com a música Canzone per Te.

 

13. Um Cristo no fundo do mar

curiosidades sobre a Ligúria
Cristo do Abismo, Ligúria – Itália. Foto: vgm8383 (FlickR)

No fundo do mar  de San Fruttuoso, entre Camogli e Portofino, no silêncio do mar profundo, há uma figura mística com os braços erguidos em sinal de invocação, uma grande estátua de bronze de Cristo.

O “Cristo do Abismo” é uma estátua de 2,5m de altura feita por Guido Galletti e colocada no fundo do mar como uma homenagem a Dario Gonzatti, o primeiro italiano a usar equipamento de mergulho e a todos que perderam a vida mergulhando. Foi instalado a 17 metros de profundidade, em agosto de 1954.

Hoje em dia, mergulhar para observar o Cristo é uma das excursões mais famosas da costa da Ligúria.

LEIA TAMBÉM  Camogli: dicas de uma das pérolas da Ligúria

 

14. Riviera dei Fiori, um litoral que é um inteiro jardim

Ventimiglia, Ligúria
Ventimiglia, Ligúria

A chamada Riviera dei Fiori, na Ligúria, é o trecho de litoral que se estende por cerca de 80km, de Andora até a fronteira com a França, em Ventimiglia, e que corresponde exatamente às fronteiras da província de Impéria.

A área, especialmente a cidade de Sanremo, é conhecida pela produção de flores, daí o nome que a caracteriza. As principais cidades são Bordighera, Imperia, Ospedaletti, Sanremo, Taggia e Ventimiglia. Neste trecho fino de terra, se passa das montanhas ao mar, das colinas verdejantes aos vales com seus bosques, às baías e enseadas que se alternam com praias lindíssimas.

 

15. Produz “as melhores azeitonas do mundo”

As azeitonas da variedade “Taggiasca” são provenientes da Liguria, produzidas na província de Impéria, que é onde fica o município de Taggia, lugar onde começou o cultivo das mesmas. Elas são consideradas por muitos as melhores azeitonas do mundo, por causa do seu sabor é único, sendo ao mesmo tempo, doce e decisivo.

De fato, o azeite produzido com este tipo de azeitona é bastante valioso e tem qualidades organolépticas excelentes, superiores a outros tipos produzidos na Itália. Com as azeitonas Taggiasca a Ligúria produz o azeite Riviera Ligure DOP.

 

16. Um vinho único produzido por “viticultores heróicos”

A Liguria é o lugar de produção de um vinho muito peculiar, o Sciacchetrà (pronuncia ‘Xaquetrá’). É um vinho licoroso incrível, produzido a partir das uvas que crescem nas colinas íngremes de Cinque Terre. O cultivo dessas vinhas é tão difícil que os fabricantes de Sciacchetrà são chamados “viticultores heróicos”.

Enfim, o verdadeiro e autêntico Sciacchetrà só pode ser produzido em alguns municípios da província de La Spezia. A maioria dos produtores de Sciacchetrà está concentrada nos vilarejos de Cinque Terre. O Sciacchetrà foi reconhecido como um vinho DOC (Denominazione di Origine Controllata).

Categorias
Informações Gerais

Como é o clima em Gênova

Saber as condições do clima em Gênova no mês da sua viagem é algo fundamental para planejar bem um roteiro. Veja a seguir a previsão do tempo em Gênova, como é o clima durante o ano por aqui e dicas do que colocar na mala.

 

Tempo em Gênova: previsão para esta semana

O dia da sua viagem está chegando? Veja a previsão do tempo em Gênova para os próximos dias.


Clique AQUI para ver a previsão do tempo em Gênova nos próximos 15 dias.

 

Clima em Gênova

O clima de Gênova é classificado entre clima subtropical úmido e clima mediterrâneo, com invernos suaves (neva raramente), verões quentes, mas não escaldantes.

Além disso, as temperaturas médias em Gênova variam muito. Considerando a umidade, as temperaturas são agradáveis na maior parte do ano, exceto algumas semanas frias no inverno.

Assim sendo, se você está procurando a época mais quente para visitar Gênova, os meses mais quentes são julho, agosto e setembro. Veja abaixo as temperaturas médias mês por mês.

clima em Gênova

 

Quando vir para Gênova?

O melhor período para visitar Gênova é entre abril e setembro. A escolha do mês dependerá do tipo de roteiro que irá fazer.

  • Gênova em dezembro, janeiro, fevereiro, março: Se comparado com outras cidades do norte da Itália, o inverno em Gênova é relativamente ameno, mas chuvoso, com pouco sol e muito vento.
  • Gênova em abril e maio: temperaturas mais quentes e menos chuvas. Um período agradável para descobrir a cidade, porém ainda não é hora de pegar praia.
  • Gênova em junho, julho, agosto, setembro: O verão é quente e relativamente úmido. Julho é o mês mais seco, a temperatura da água é mais quente em agosto. Este é o momento ideal para aproveitar o litoral da Ligúria, por isso não deixe de colocar na mala roupa de banho.
  • Gênova em outubro e novembro. Temperaturas mais baixas durante os dois meses mais chuvosos do ano. Ao vir para Gênova neste período, coloque na sua mala um guarda-chuva e um impermeável!

 

É bom saber também:

  • O vento sopra muito forte em Gênova, principalmente no inverno.
  • Considerando o grande volume de chuvas, é preferível providenciar guarda-chuva e capa de chuva caso viaje nos meses de outubro e novembro. Para que tenha uma ideia, as piores enxentes de Gênova ocorreram justamente nessa parte do ano.

 

Categorias
Curiosidades

São João Batista: o Santo Padroeiro de Gênova

Dia 24 de junho é o dia de São João Batista, padroeiro de Gênova.

Uma festa religiosa profundamente sentida, pois São João é o padroeiro de Gênova há muito tempo e suas relíquias foram trazidas para cá há vários séculos.

 

Por que São João é o Padroeiro de Gênova?

A história nos leva a tempos distantes, ao período das Cruzadas, quando o fervor religioso e o interesse místico pelas relíquias estavam enraizados e o costume de trazer os restos sagrados dos santos para o Ocidente era algo comum.

E assim, em 1098, os bravos genoveses chegaram à cidade de Mira em busca de certas relíquias, as de São Nicolau. Infelizmente, alguém chegou antes deles e os restos do santo já tinham sido levados para Bari.

Os genoveses, no entanto, não desistiram. Em um mosteiro encontraram outras relíquias sagradas e, quando souberam que pertenciam a São João Batista, tomaram posse delas.

E os historiadores narram que, para levar as cinzas de São João para Gênova, decidiram dividí-las em diferentes navios.

Durante a viagem, o mar traiçoeiro se enfureceu, as ondas batiam violentamente nos cascos dos navios e a tempestade se acalmou apenas quando as cinzas de São João foram reunidas em apenas um dos navios, o Galea Capitana.

Segundo a lenda, em 1391, uma tempestade terrível ameaçou causar a destruição dos navios ancorados no porto de Gênova. Porém, quando a arca com cinzas sagradas foi levada em procissão até o litoral, o mar milagrosamente se acalmou.

E assim, a partir de então, passou-se a pedir a proteção a São João sempre que a violência das ondas se tornasse uma ameaça ao porto e à cidade de Gênova, e estabeleceu-se o costume de levar as cinzas do santo para o mar.

Padroeiro de Gênova
Na Catedral de Gênova: João Batista, precursor de Cristo

São João Batista: curiosidades, lendas e história do santo padroeiro de Gênova

São João Batista tornou-se padroeiro de Gênova em 1327. Desde então a cidade comemora seu dia com festas e celebrações e sugestivas.

Antigamente, fogos e fogueiras eram acesos, as chamas em homenagem a São João eram ardiam nas praças e nos montes de Gênova, dando um novo sentido a uma tradição que vê suas origens em certos ritos pagãos, uma vez que era costume acender os fogos para manter as bruxas afastadas.

Os devotos de São João em Gênova acendiam velas em cima de frágeis lanternas de papel, que depois eram colocadas no mar.

E ainda, conta ao historiador Michelangelo Dolcino, que em épocas distantes acreditava-se que o orvalho da noite de São João tinha virtudes prodigiosas e, por exemplo, em certos lugares, as roupas dos bebês eram expostas ao sereno para torná-los imunes a doenças.

Na Piazza di San Lorenzo eram vendidas “bençãos”, folhas de nogueira e sabugueiro embebidas no orvalho milagroso da noite de 24 de junho.

Padroeiro de Gênova

O São João em Gênova hoje em dia

Ainda hoje, fogueiras são acesas e as chamas ardem na noite de São João. O padroeiro de Gênova ainda é celebrado com uma procissão solene e as cinzas do santo são conduzidas em frente ao mar, acompanhadas por representantes das Confraternidades.

Papas e personalidades importantes já vieram prestar homenagem ao Batista nos séculos passados. Até mesmo o

Barba Ruiva doou um precioso estojo de prata, o qual está guardado no Museu dos Tesouros de San Lorenzo.

A bela procissão começa na Catedral, atravessa as ruas da velha Gênova e culmina com as bênçãos do mar e da cidade.