Categorias
Passeios

Lanterna: O Farol de Gênova símbolo da cidade

 

O farol de Gênova, ou melhor, a “Lanterna“, como é chamada, é o símbolo da cidade (e aqui do site também!). De fato, ao chegar a Gênova, seja de navio ou de carro, é muito provável que você logo o veja.

A construção atual data de 1543, mas nos primeiros anos do século XII já existia uma estrutura muito semelhante que servia de torre de vigia (para sinalizar a chegada de navios suspeitos) e farol. Para que se tenha uma ideia, em cima dela queimavam fardos para indicar a entrada do porto aos navegantes.

O farol de Gênova recebeu até mesmo a visita de Leonardo Da Vinci que, junto com Ludovico il Moro, foi lá para estudar o layout das fortificações genovesas.

Enfim, embora visitá-la e subir todos os degraus até o terraço não seja muito simples, todo o esforço é recompensado pela vista que se tem lá de cima. Além disso na base da torre funciona um pequeno museu multimídia de Gênova e sua província.

Lanterna de Genova

Como visitar o Farol de Gênova

Antes de tudo, o Farol de Gênova fica aberto para visitação apenas nos sábados, domingos e feriados. Há também algumas aberturas extraordinárias, como no dia 18 de maio, por ocasião da Noite dos Museus (a última entrada é às 21h30). Entretanto, a atração fica fechada na Páscoa, nos dias 25 de dezembro e 1º de janeiro. Além disso, antes de decidir visitar a Lanterna, informe-se sobre as condições meteorológicas em Gênova, umas vez que em caso de tempo muito ruim, as visitas ao Farol não acontecem.

Você pode comprar seu ingresso online antecipadamente (para evitar longas filas) ou diretamente no local na bilheteria do museu. De fato, no máximo 25 pessoas podem entrar no farol por vez.

Crianças de 0 a 6 anos e pessoas com deficiência acompanhadas podem entrar gratuitamente.

Veja abaixo a disponibilidade.

Dicas para visitar a Lanterna

Antes de visitar o Farol de Gênova, há certas coisas que você deve saber. Primeiramente, saiba que é necessário enfrentar 172 degraus para chegar ao terraço. Por isso, a visita não é possível para quem tenha dificuldades em se locomover ou problemas cardíacos.

Além disso, é bom tomar as seguintes precauções.

  • Use calçados adequados e evite chinelos.
  • Não é permitido entrar com animais de estimação.
  • Todas as crianças devem estar sempre acompanhadas por um adulto.
  • Escolha, sempre que possível, visitar esta estrutura em dias que não sejam particularmente frios (especialmente se estiver viajando com crianças), pois é uma área bastante exposta aos ventos.

Como chegar ao Farol de Gênova

Como chegar ao Farol de Gênova

É possível chegar ao Farol de Gênova apenas a pé, percorrendo o calçadão que começa no estacionamento próximo do Terminal Marítimo. Você pode estacionar gratuitamente por 2h30, se tomar um café ou comprar algo em uma das lojas do pequeno shopping. Serão cerca de 800 metros de caminhada pelo cais do Porto de Gênova.

 Se você vem de outro lugar de Gênova usando transporte público, outra possibilidade é descer nas paradas “Buozzi 2 / Metrô Dinegro” ou “Dinegro / Terminal Traghetti”. Depois, é só atravessar a estrada na direção do porto e seguir até o Terminal Marítimo, onde começa a caminhada. Saindo da galeria comercial do Terminal Marítimo, de fato, você encontrará no perímetro do estacionamento algumas linhas brancas e vermelhas com o símbolo da Lanterna que o levará, com segurança, ao início da caminhada. Você logo verá um grande painel vermelho com um desenho de Gênova e a escrita “LANTERNA”.

Categorias
Restaurantes

Les Rouges Cucina & Cocktail: Bebendo bem em um palácio histórico

Um bar em Gênova que serve drinks de classe e elaborados. Perfeito para quem ama coqueteis requintados.

 

O centro histórico de Gênova é repleto de bares e botecos. Mas encontrar um bar em Gênova que ofereça drinks de qualidade nem sempre é fácil. Felizmente o Les Rouges Cucina & Cocktail está aí para atender a quem gosta de beber bem.

Localizado no primeiro andar de um antigo palácio nobre do século XVI, em uma das vielas nas proximidades da Catedral de San Lorenzo, da qual dista 1 minuto a pé, o Les Rouges é uma bela surpresa no centro histórico de Gênova.

Apesar do palácio elegante, o lugar é informal. E, de fato, segundo o proprietário, o ambiente despertou um pouco de medo nos clientes no início. Mas a desconfiança não durou muito. Já após os primeiros meses de 2013 – ano em que abriu – o local tornou-se um dos mais interessantes e procurados bares em Gênova. De fato, “convivialidade” é uma das palavras-chave de Les Rouges: você pode ir lá sozinho, em casal ou em grupo, e ainda vai ficar bem.

Les Rouges Cucina & Cocktail
Os afrescos e pinturas

O que tem no cardápio

Os afrescos das salas e as pinturas da artista Tamara de Lempicka talvez desviem sua atenção da rica lista de coquetéis elaborados pelos barmen. Mas não se preocupe, você terá bastante tempo para descobrir as opções e ainda poderá pedir um conselho ao pessoal de sala.

A lista de coquetéis é ampla e combina tradição e criatividade. As propostas variam de acordo com a época do ano, e é claro que também é possível pedir bebidas fora do cardápio.

Sem dúvida, um dos drinks mais pedidos do bar é Spritz Genovese. Um cocktail clássico, mas reinterpretado e enriquecido com ingredientes locais. Ele é feito com o lendário Corochinato, juntamente com vinho espumante, soda e manjericão.

bar em Gênova
O Spritz Genovese e o Aperol Spritz

A carta de vinhos é, provavelmente,a mais extensa entre os bares da cidade e não só. Além disso, os rótulos são produzidos pelos mesmos donos do Les Rouges, em colaboração com uma pequena vinícola do Piemonte.

A cozinha oferece pratos para acompanhar as bebidas. O menu é bem pensado, com tábuas de queijos e frios, mas também massas e clássicos da culinária da Liguria em versão “tapas”.

bar em Gênova

Enfim, o Les Roues é um bar em Gênova onde turistas e genoveses podem saborear drinks excelentes e deixar-se mimar em todos os sentidos.

 

Les Rouges Cucina & Cocktail
Piazza Campeto, 8A, Centro histórico de Gênova
Abre de quarta a domingo, das 18 às 23h (sexta e sábado até meia noite)

 

Categorias
Atualidades

O desabrochar das camélias no Parque Durazzo Pallavicini

 

O desabrochar das camélias é um espetáculo incrível e que leva milhares de visitantes ao Parque Durazzo Pallavicini. Veja as datas e como visitar o parque.

Todos os anos, de meados de fevereiro a início de abril, as camélias oferecem paisagens incríveis no Parque da Villa Durazzo Pallavicini. O parque é um pulmão verde em Gênova, no bairro de Pegli. Sem dúvida, o Viale delle Camellie, com suas inúmeras cores, tons e formas, nos recebe com suas cores e seu tapete de flores para viver uma experiência única.

 

O parque e o desabrochar das camélias

O Parque da Villa Durazzo Pallavicini foi construído entre 1840 e 1846. Ele é considerado uma excelência no contexto do jardim romântico histórico italiano e europeu e possui uma das camélias mais importantes da Europa e a mais desenvolvida da Itália.

O jardim das camélias, criado em 1856, é hoje formado por uma avenida de 200m de extensão com camélias que ultrapassam os 6 metros. Sem dúvida, é um jardim de beleza extraordinária, e que conta com 150 plantas diferentes.

A visita guiada ao jardim de camélias

Todos os fins de semana, de 19 de fevereiro a 3 de abril de 2022, às 14h30, haverá visitas guiadas para ver o desabrochar das camélias. Esta visita guiada na vegetação do jardim de camélias mais importante da Itália permite que você passeie entre as plantas mais intrigantes de Villa Pallavicini, enquanto escuta curiosidades sobre as plantas.

A diretora do Parque, a arquiteta Silvana Ghigino, guiará pessoalmente os visitantes. Se falará sobre a história desta flor, sua fisiologia, e os programas que a gestão da Villa Durazzo Pallavicini tem para esta avenida que tem o título de maior e mais antigo jardim de camélias da Itália. Também se visitará as camélias do Jardim da Flora e o esplêndido exemplar de Camellia japonica Rubra simplex, que cresce acima do Grande Lago.

  • Horário: 14h30
  • Duração: 2 horas
  • Valor: 20 euros / 10 euros (crianças e adolescentes de 7-18 anos acompanhados por um adulto)
  • É necessário reservar através do site da Villa Durazzo Pallavicini

Além disso, quem reservar uma visita guiada ao jardim das camélias receberá um brinde (enquanto durarem os estoques).

Enfim, recomenda-se o uso de calçados confortáveis, bem como o uso de máscara. Além disso, é necessário apresentar o certificado de vacinação Covid-19.

 

A visita ao parque

O parque Durazzo Pallavicini abre de terça a domingo, das 10 às 18h (última entrada 16h). Você pode visitá-lo mesmo sem reservar a visita guiada para ver o jardim das camélias.

Valores dos ingressos de terça a sexta

  • 11 euros bilhete inteiro
  • 9 euros para maiores de 65 anos, deficientes e pessoas residentes no município de Gênova.
  • Crianças de 7 a 18 anos pagam bilhete reduzido (9 euros)
  • Crianças de 0 a 6 anos e os acompanhantes dos deficientes entram grátis
  • Combo família: 24 euros (2 adultos + 1 filho 7-18 anos)

Valores dos ingressos nos fins de semana e feriados:

  • 13 euros bilhete inteiro
  • 10 euros para maiores de 65 anos, deficientes e pessoas residentes no município de Gênova.
  • Crianças de 7 a 18 anos pagam bilhete reduzido (6 euros)
  • Crianças de 0 a 6 anos e os acompanhantes dos deficientes entram grátis
  • Combo família: 27 euros (2 adultos + 1 filho 7-18 anos)

 

Curiosidades sobres as camélias

Por fim, uma curiosidade sobre as camélias. Dependendo da cor, o significado da camélia transmite uma mensagem diferente. Por exemplo, rosa significa nostalgia e desejo de se encontrar. Já o vermelho declara que o coração está inflamado de paixão. Aquelas com cores mescladas são símbolo de confiança e esperança. As camélias brancas testemunham afeição profunda. Por fim, a flor dupla indica o quanto você pensa em uma pessoa, enquanto a simples indica adoração e beleza.

Alexandre Dumas dedicou o famoso romance A Dama das Camélias, publicado em 1848. Além disso, a estilista Coco Chanel amou tanto essa flor que se tornou referência constante em suas coleções.

E então, qual é a sua camélia favorita?

 

 

Categorias
Restaurantes

Cavour Modo 21: Uma trattoria boa e barata em Gênova

 

Se você procura um restaurante barato em Gênova e gosta de provar restaurantes “raíz”, frequentados por locais, então o Cavour Modo 21 pode ser uma ótima opção.

Antes de mais nada, não é fácil encontrar restaurantes baratos em Gênova que ofereçam pratos de qualidade. Por isso, o Cavour Modo 21 é um verdadeiro tesouro, e muitas pessoas são conscientes disso. De fato, na maior parte das vezes há uma fila imensa na porta.

Na verdade, por muito tempo fiquei com vontade de guardar esse segredo só para mim, mas achei que estava sendo egoista demais. Por isso, agora compartilho com vocês esta dica de ouro!

 

Um restaurante barato em Gênova com fila na porta

Antes da pandemia, eles não aceitavam reservas. Então a solução era chegar cedo, melhor se assim que o restaurante abrir (meio dia no almoço e 19h no jantar) e colocar o nome na lista de espera. A espera poderia durar apenas poucos minutos, se você chegasse no momento certo, ou então receber uma resposta negativa por parte do pessoal, pois já estava tudo lotado. Isso porque o cavour 21 é um restaurante pequeno, com poucas mesas e ficavam uma juntinho da outra. Com a pandemia, tornou-se necessário diminuir o número de mesas e aceitar reservas.

O restaurante em si é bastante peculiar, com desenhos e comentários dos clientes nas paredes. Além disso, as mesas são pequenas, organizadas em modo muito simples. De fato, ao invés de toalhas de mesa, há jogos americanos de papel, talheres, um prato e um copo (nada de taças!). Como eu falei no início do texto, é um restaurante “raíz”.

restaurante barato em Gênova

Mas vamos ao que interessa: a comida. O cardápio do Cavour 21 não é muito variado, mas muda sempre. Entretanto, alguns pratos típicos de Gênova não saem nunca de produção, como o ravioli de peixe e o clássico dos clássicos, a massa com pesto.

A propósito de pesto, o molho produzido pelo Cavour 21 recebeu diversos prêmios, inclusive internacionais. É realmente muito gostoso e você pode levá-lo para casa, pois eles comercializam em potinhos tanto o pesto quanto outros molhos artesanais.

onde comer pesto em genova
Trenette al pesto
Ravioli de peixe
Ravioli de peixe

Restaurante barato em Gênova: preço x qualidade

Este restaurante barato em Gênova tem um custo benefício incrível. Em todas as vezes que estive lá (e foram diversas) a comida sempre foi excelente e a conta uma pechincha. O preço das massas variam  €3,50 a €9 (as mais caras são aquelas com frutos do mar). Vinho? 1/2 litro por € 3,50. As sobremesas também custam menos de 5 euros. Não é à toa que está sempre cheio!

Embora haja uma grande rotação de clientes, e os garçons corram sempre de um lado para outro, o pessoal sempre foi muito gentil e atencioso. Além disso, os pratos chegam rapidamente. Por outro lado, não espere troca de talheres ou de copos durante a sua refeição.

 

Onde fica o Cavour Modo 21

Eu nunca teria entrado no Cavour 21 se não fosse a indicação de um genovês, até porque o lugar não fica em ruas onde normalmente se passeia. Embora esteja perto do Porto Antigo, fica do outro lado de uma avenida muito movimentada. Dificilmente um turista a atravessa para ir passear na outra margem, a menos que pretenda ir a um lugar específico.

restaurante popular em Gênova
As pessoas em pé estão esperando na fila

Reservas e horários

  • O Cavour Modo 21 abre de terça a domingo, das 12 às 14h30 e das 19 às 22h30.
  • As reservas são feitas apenas por WhatsApp ou SMS e só são confirmadas depois que eles responderem. Telefone/WhatsApp: +39 3938511140
  • Endereço: Piazza Cavour, 21R, Gênova (centro)
  • Veja o cardápio atual e outras informações na página Facebook do restaurante.

Por fim, o Cavour 21 é um restaurante genuíno. Em suma, lá você encontrará comida tradicional de Gênova, num ambiente rústico, sem frescuras, com preços bons demais para serem verdade.

 

 

 

Categorias
Passeios

O Castelo d’Albertis e o Museu das Culturas do Mundo

O Castelo d’Albertis, em Gênova é uma residência histórica onde atualmente funciona o Museu das Culturas do Mundo. Trata-se de um lugar bem interessante, porém pouco visitado, uma vez que fica fora do circuito turístico padrão de Gênova. O castelo está situado no bairro de Castelletto, uma zona alta, porém a poucos minutos a pé da estação Piazza Principe.

O Museu das Culturas que se encontra no Castello d’Albertis é bem diferente dos outros museus de Gênova. De fato, ele é o resultado das experiências de viagem do Capitão Enrico Alberto D’Albertis, que viveu no castelo entre 1889 e 1932.

 

A história de um grande viajante

Nascido em uma família rica em 1846, o Capitão Enrico Alberto d’Albertis era aquele tipo de pessoa que hoje em dia dizemos que tem “rodinha nos pés”. De fato, ele cultivou suas paixões e o desejo de conhecer o mundo primeiro na Marinha, depois na navegação comercial, até escolher viajar por conta própria. Curioso por natureza, ele aproveitou suas viagens para aprofundar seus conhecimentos em botânica, arqueologia, história da arte, geografia e muitas outras áreas, demonstrando uma cultura eclética e muito ampla.

Além de muito culto, Enrico também era um personagem empreendedor, um verdadeiro explorador genovês. Por exemplo, em 1877 deu a primeira volta ao mundo com seu barco, o Violante. Depois dessa, ele fez inúmeras outras viagens tanto por mar quanto por terra, e em uma delas refez a rota de Cristóvão Colombo.

Por fim, em 1886 comprou o bastião de Montegalletto (séculos XIII e XIV) destinado à demolição. Ali ele construiu sua residência, o Castelo d’Albertis.

o que ver em genova

O Castelo d’Albertis foi construído no estilo do renascimento gótico, lembrando os palácios de Florença e os castelos do Vale de Aosta, que Enrico tanto admirava. Além disso, o castelo absorveu parcialmente os restos de uma antiga muralha e de uma das torres originais.

Embora Enrico Albertis viajasse muito, ele também gostava de curtir sua “casa”. Ali ele continuou a cultivar as suas paixões e as suas muitas amizades (políticos, antropólogos, naturalistas, arqueólogos e intelectuais). Além disso, não deixou de escrever sobre suas viagens, colecionar milhares de fotografias e desenhar mais de 100 relógios de sol de todo o mundo.

Após a morte do capitão Albertis, em 1932, o castelo foi doado à cidade de Gênova. Posteriormente, o complexo foi restaurado e transformado em um museu.

Museu para visitar em Gênova

A visita ao Castelo d’Albertis

Antes de mais nada, você pode visitar o parque do castelo e a área externa sem ter que pagar o ingresso do museu. Isso porque o bilhete é para visitar as salas e as exposições.

O jardim do castelo é repleto de palmeiras, você pode desfrutar de uma bela vista de parte da cidade e do mar. O castelo também tem um bar com mesas ao ar livre, onde você pode tomar uma bebida ou comer algo.

castelo em gênova
Você pode ir ao bar do Castelo d’Albertis ou passear pelo jardim sem ter que pagar o ingresso.

As salas do Museu das Culturas do Mundo

O museu exibe móveis, decorações, objetos de coleção e achados arqueológicos coletados por Enrico e Luigi Maria d’Albertis durante suas viagens à África, Américas, Nova Guiné e Oceania. Há também armas do Sudão e Zambia, bem como miniaturas de navios, instrumentos de navegação, cartas, fotos pessoais, etc.

As escadas são decoradas com uma coleção de espadas ao longo de todos os lances

Os quartos que fazem parte do apartamento do capitão mostram claramente as suas paixões. Por exemplo, a Sala das Meridianas foi reconstruída seguindo a orientação do sol. Há também muitas referências a Cristóvão Colombo, que nasceu em Gênova, e era um personagem muito admirado pelo capitão.

Veja na parede as 3 caravelas, Santa Maria, Pinta e Nina. Embaixo delas 3 brasões, sendo aquele central o usado por Colombo.

A sala turca, por sua vez, expressa muito bem a paixão pelas influências do Oriente Médio, como era a moda do final do século XIX. De fato, os estilos árabe, indiano e turco tiveram muitos adeptos na época e fascinaram o capitão desde suas primeiras viagens, como a da inauguração do Canal de Suez, na qual participaram pessoas de vários países.

Castelo d'Albertis em Gênova
A sala turca

Por fim, em uma ala separada do Museu se encontra uma coleção dedicada à música (Museo delle Musiche dei Popoli / Museu de música folclórica), com instrumentos musicais de diferentes partes do mundo.

lugares para ver genova do alto
E a vista que se tem do castelo é linda!

Sem dúvida, se você tem curiosidade em conhecer objetos antigos de outras culturas, vale a pena visitar o museu do Castelo d’Albertis. Além disso, sempre há exposições fotográficas temporárias e eventos culturais. Para conhecer a programação, visite o site do museu.

 

Como chegar ao Castelo d’Albertis

castelo em Gênova

O Castelo d’Albertis fica a 10 minutos a pé da estação Piazza Principe, portanto você pode tê-la como ponto de referência. Por outro lado, se você se encontra no centro de Gênova, como na área da Piazza De Ferrari ou Brignole, pode pegar o ônibus 40 e descer na parada Dogali2/Bassi.

O castelo fica no Corso Dogali, n° 18.

 

Ingressos e horários de funcionamento

O Castelo d’Albertis abre de terça a sexta, das 10 às 17h. Aos sábados e domingos, funciona das 10 às 18h.

O ingresso inteiro custa 6 euros. Crianças de 5 a 12 anos e maiores de 65 anos (cidadãos da UE) pagam € 4,50. Crianças de 0 a 4 anos não pagam.

Veja mais informações no site do museu.

 

 

Categorias
Compras

Loja Eataly de Gênova – uma ótima experiência gastronômica

Visitar a Eataly de Gênova significa viver uma incrível experiência culinária, em um local onde é possível apreciar tradições e comida italiana. Mas além disso, é onde as pessoas podem comprar e provar uma grande variedade de alimentos e bebidas de alta qualidade por um bom preço.

Por isso, mesmo que sua parada na cidade seja rápida, por exemplo em uma escala de cruzeiro, aproveite para dar uma passadinha lá e comprar alguns produtos típicos italianos.

 

Onde fica e como chegar à Eataly de Gênova

A loja Eataly de Gênova fica no Porto Antico, entre o histórico Galeão dos Piratas e o moderno aquário, tornando-se um ponto estratégico para turistas em um cruzeiro, visitantes e, sobretudo, moradores da cidade.

Ela fica a poucos metros da estação de metrô San Giorgio, bem como da Piazza Caricamento, onde param ônibus urbanos provenientes de diversos pontos da cidade.

Enfim, se você estiver hospedado em um hotel no centro, tenha sempre como ponto de referência o Porto Antigo e o Bigo, o elevador panorâmico. A Eataly fica em frente. Não tem erro!

o que é a eataly
Dá para ver o Porto através dos janelões.

O que é a Eataly?

Nascida em Turim, hoje a Eataly representa um formato universal atraente para todos os países interessados ​​na grande cultura da comida. Sem dúvida, Eataly é uma ideia inovadora e revolucionária que representa os produtos típicos italianos. 

Na verdade, é muito mais que uma loja: há restaurantes, cafés e bares. Além disso, há muita agricultura italiana e também um espaço para aulas de culinária. Você pode comprar produtos gourmet caseiros e comê-los diretamente no local.

Em suma, é um ponto de encontro entre comida italiana de qualidade e uma forma inovadora de distribuição, um lugar onde compras, almoço e jantar são combinados com oportunidades de aprendizado.

Eataly de Genova

A loja Eataly de Gênova

Antes de mais nada, a Eataly de Gênova tem uma linda vista para o Porto Antigo. Em uma área de 1600m², ela abriga dois restaurantes, mercados de carnes, peixes e vegetais, bem como uma área de degustação de queijos, um café e uma loja de chocolates. Lá também se oferece aulas de culinária e possibilidades de degustação.

A entrada se dá por meio de um elevador panorâmico, uma vez que a loja fica no 1º andar do edifício. O visual é realmente muito bonito, e dá para apreciar a vista para o Porto Antigo e o Bigo de Gênova. Neste mesmo andar fica o Bistrô Anciôa. No 2º andar, por sua vez, se encontra o restaurante exclusivo, o Il Marin.

onde comprar vinhos em genova

A loja oferece uma ampla variedade de alimentos e produtos tipicamente italianos. Eles podem ser comprados e levados para casa, ou consumidos nas áreas apropriadas, tornando-se não apenas um local de encontro para gourmands, mas também um local onde os moradores da cidade podem fazer compras ou saborear uma refeição de alta qualidade.

 

 

O restaurante Il Marin

Com uma vista panorâmica incrível, o Il Marin é um dos dois restaurantes da Eataly de Gênova. Em síntese, trata-se de um restaurante de alta gastronomia, que oferece pratos sofisticados, e propõe clássicos da culinária da Ligúria em versão moderna. O cardápio se baseia em pratos à base de peixes e frutos do mar. Além disso, há duas opções de menu degustação, cujo valor fica entre 60 e 75 euros por pessoa, mas também há o menu à la carte.

Bistrô Anciôa: o outro restaurante da Eataly de Gênova

Antes de tudo, o Anciôa é um restaurante que fica aberto apenas entre abril e o final de setembro, o que é chamado de restaurante temporário. Ele é pequenininho e tem também um terraço muito panorâmico.

O Anciôa é exatamente o oposto do Il Marin, tanto na posição, quanto nos pratos que oferece. Embora seja também comandado pelo mesmo chef, está mais para uma trattoria, com porções maiores e pratos típicos clássicos. O menu é muito simples, e quase tudo é à base de peixe. De fato, “Anciôa” significa “anchova” no dialeto da Ligúria, e este peixe também é proposto em diversas versões.

 

 

Gostou? Salva no Pinterest!

Categorias
Informações Gerais

Cidades da Liguria para conhecer… além das Cinque Terre

Quando pensamos nas cidades da Ligúria para conhecer, imediatamente nos vem em mente a beleza dos cinco vilarejos das Cinque Terre. Mas a Ligúria é mais que isso! A região é cheia de tesouros naturais e oferece aos visitantes uma grande variedade de paisagens.

Mas esta terra também possui várias cidades e vilas maravilhosas, perfeitamente fundidas no maravilhoso cenário em que se encontram. Há muitos lugares bonitos de grande interesse para visitar, por este motivo aqui vão 10 dicas de cidades da Ligúria para você incluir no seu roteiro!

 

Gênova

Não poderia não começar por Gênova, a capital da Ligúria, uma das muitas encantadoras cidades italianas que atraem viajantes pela arquitetura e gastronomia, além de ser um dos principais portos de embarque de cruzeiros na Itália.

Embora algumas partes da cidade ainda sejam bastante industriais, o centro histórico apresenta toda uma arquitetura renascentista e barroca, bem como uma grande quantidade de museus e galerias. Outra grande atração de Gênova é seu Porto Antigo, onde fica, entre outras coisas, um dos maiores Aquários da Europa.

Gênova pode ser um ótimo destino para mergulhar na arte ou como um ponto de partida para explorar a chamada Riviera Italiana.

 

Camogli

cidades da liguria

Casinhas coloridas, quase sempre de frente para o mar, são algo que você vê em diversas cidades da Liguria, é algo bem comum. Mas em Camogli elas oferecem vistas tão bonitas, que não dá para esquecer.

Camogli está situada em um trecho do litoral a leste da cidade de Gênova, da qual dista pouco mais de 20km. Faz parte do cartão postal desta linda vila também o castelo de Dragonara, que fica no final da praia.

A partir de Camogli é possível ir até San Fruttuoso, uma abadia milenar que fica numa prainha de águas cristalinas. San Fruttuoso é acessível apenas de balsa ou por uma trilha que passa pelo parque de Portofino.

Camogli e San Fruttuoso são lugares verdadeiramente relaxantes, onde os visitantes podem fazer uma pausa no ritmo agitado da cidade e desfrutar de um passeio entre boa comida e paisagens maravilhosas.

 

Cidades da Ligúria: Portofino

cidades da liguria

Provavelmente Portofino é, junto com Cinque Terre, o lugar mais famoso de toda a Ligúria! Sua fama começou no início dos anos 50 e se tornou um destino de férias favorito de muitas estrelas de Holywood, como Elizabeth Taylor, Audrey Hepburn, Madonna e Leonardo Di Caprio.

No entanto, Portofino não é apenas um lugar vip. Na cidade há também muitos lugares bonitos que podem ser admirados por turistas “normais”. Com certeza você deve visitar o Castelo Brown ou o lindo farol local. Da praça em frente ao farol, você pode admirar uma vista fantástica do mar. 

 

Santa Margherita Ligure

cidades da Ligúria

Santa Margherita Ligure, carinhosamente chamada “Santa” por seus habitantes, é uma cidadezinha de praia encantadora localizada a 30km de Gênova e 7km de Portofino.

Tem clima ameno, ruazinhas adoráveis, casinhas coloridas e uma vida noturna bem agitada (inúmeras discotecas e clubes). Tudo isso faz deste lugar uma das cidades mais populares e famosas da região.

 

Portovenere

Portovenere marca o extremo oeste do Golfo dos Poetas, uma área famosa por convidados ilustres como Mary Shelley e Virginia Woolf. Reza uma lenda que, uma vez, o poeta inglês Lord Byron nadou mais de cinco quilômetros através do golfo, embora não haja nenhuma evidência histórica dessa façanha.

Ainda assim, uma gruta marítima com esse nome é uma das atrações do Parque Natural de Portovenere, composto por um promontório e três pequenas ilhas. A herança cultural da cidade sugere uma forte associação medieval com a República de Gênova: entre os pontos de maior interesse estão as muralhas da cidade, um castelo com vista para o mar e a igreja de São Pedro.

 

Lerici

Lerici é uma das minhas dicas de cidades da Ligúria para visitar. Foto: WikiCommons

Já bem próximo da divisa da Ligúria com a Toscana, Lerici é uma vila que encanta pela beleza e graça. Domina a cidadezinha o castelo, datado de 1152, que hoje abriga um museu, mas que séculos atrás era o mirante que vigiava o mar e qualquer ataque de piratas.

Suas praias douradas são maravilhosas e a natureza que a cerca é um manto verde sobre o qual se reflete a luz do céu e o azul do mar. O coração da alma marítima de Lerici é seu povoado, Tellaro, uma charmosa e pitoresca vila de pescadores, que também é imperdível!

 

Apricale

cidades da Ligúria

Também chamada de “terra dos artistas”, ou ainda “terra do sol” devido à sua localização maravilhosa, com vista para uma colina bem no meio de oliveiras, Apricale é um dos vilarejos medievais mais representativos e bem preservados da região.

Entre becos de pedra emoldurados por vários murais e praças pitorescas, os visitantes respiram uma atmosfera atemporal sem igual. Não deixe de visitar o Castelo do Lagarto com seu importante museu.

Uma dica: Perto de Apricale fica Dolceacqua, cidadezinha dividida em duas por um rio. Sua ponte medieval com um único arco é o símbolo da cidade. Há, ainda, um antigo castelo que, especialmente no verão, é palco de shows e eventos.

 

Cidades da Ligúria: Sanremo

Foto: Bernard Blanc (Flickr)

Sanremo ou San Remo, a cidade do maior festival de música italiana, é um destino mediterrâneo elegante que oferece grandeza e charme. As ruas sinuosas de La Pigna permitem que você passe as horas sob o sol italiano enquanto explora belos palácios, jardins, cafés, igrejas e boutiques ao longo do caminho.

Além disso, a cidade também é famosíssima por seu cassino, um dos poucos da Itália, e o santuário da Madonna della Costa, um grande símbolo de Sanremo.

A orla possui impressionantes avenidas com palmeiras e o porto é pontilhado de barcos e iates para você admirar. Ao lado do porto fica o imponente e impressionante Forte Santa Tecla, um forte no topo de uma colina com vistas espetaculares.

 

Sestri Levante

cidades da Ligúria: Sestri Levante

Sestri Levante é considerada uma das cidadezinhas mais bonitas da província de Gênova, dividida de um lado pela “Baia delle Favole” (em português, Baía das Fábulas), onde a marina foi construída, e de outro pela ainda mais sugestiva “Baia del Silenzio”. A cidadezinha é uma pequena jóia do litoral leste da Ligúria, localizada a 25 km de Rapallo e a 45 km de Cinque Terre.

Sempre amada pelo clima agradável durante todo o ano e pelo prazer de suas paisagens, Sestri foi escolhida pelos viajantes do Grand Tour como residência habitual. O carrugi, o coração da cidade, juntamente com palácios históricos, igrejas medievais e vielas encantadoras, testemunham suas origens antigas e nobres. Convidados ilustres ficaram nesta parte da Riviera. Só para citar alguns, o escritor Hans Christian Andersen, o compositor Richard Wagner e o cientista Guglielmo Marconi, que em Sestri realizou numerosas experiências por lá.

 

Cidades da Ligúria: Rapallo

cidades da Ligúria: Rapallo

Localizado no centro do Golfo de Tigullio, Rapallo deve sua posição invejável ao nascimento do turismo que começou na segunda metade do século XIX e continua até hoje graças à sua reputação como uma cidade turística completa e acolhedora. Aninhada entre as costas verdes do Promontório de Portofino, o panorama do mar e da casinhas coloridas, é uma das cidades da Ligúria mais deslumbrantes.

Uma outra atração lá próximo é o Santuário de N.S. Montallegro, um destino de peregrinações de toda a Itália. Ele pode ser alcançado por um teleférico, o único em toda a Ligúria, de onde você pode desfrutar de uma vista deslumbrante de todo o Golfo.

Além disso, o espetacular Lungomare Vittorio Veneto, com a longa fileira de palmeiras, o centro histórico de origem medieval, hotéis renomados e inúmeros beach clubes, fazem de Rapallo um ótimo destino turístico.

Categorias
Informações Gerais

Onde fica Gênova no mapa da Itália?

Gênova é uma das principais cidades da Itália. Além disso, é uma cidade portuária, considerada uma das mais industrializadas e com grande poder econômico no país.

A cidade tem uma população de cerca de 600.000 habitantes, que somada àquela da região metropolitana, chega a cerca de 900.000.

“Imprensada” entre o mar e as montanhas, Gênova é uma cidade “longa e fina”, estendendo-se por 30 km, dos bairros de Voltri a Nervi. Por causa disso, desta forma alongada, a região é dividida em Riviera di Ponente (a oeste do centro) e Riviera di Levante (a leste do centro).

Onde fica Genova
Mapa da região Liguria, dividida em quatro províncias.

 

Mas onde fica Gênova?

Gênova fica no noroeste da Itália e é a capital da região da Ligúria. Esta região faz divisa com a Toscana, Piemonte e Emília-Romanha, bem como fronteira com a França.

Onde fica Gênova

Informações Gerais sobre Gênova

Região onde fica Gênova: Ligúria
Localização: Norte da Itália
Área: 243 km² (apenas a cidade de Gênova)
Códigos postais: 16121–16338
Códigos de área: +39 (Itália) e 010 (telefones fixos de Gênova)
Clima: Subtropical úmido, com invernos amenos porém chuvosos e verões ensolarados.

Lugares de interesse em Gênova

O local de interesse mais importante é o centro histórico de Gênova, onde está localizada a Piazza de Ferrari. Ali possível ver a Ópera, o Palácio Ducal, bem como a casa onde nasceu Cristóvão Colombo. A “Strada Nuova” (agora Via Garibaldi) faz parte do Patrimônio Mundial da UNESCO desde 2006. De fato, esta parte da cidade antiga foi habitada, durante o século 16, pelas famílias mais poderosas da cidade.

Os edifícios históricos são: Palazzo Rosso, Palazzo Bianco, Palazzo Grimaldi e Palazzo Reale. Outros lugares famosos são a Catedral de San Lorenzo, o Cemitério Staglieno e o Museu de Arte Oriental, que abriga uma das maiores coleções da Europa.

Orgulho de Gênova também é o grande aquário localizado no Porto Antigo e ‘La Lanterna’, o farol mais antigo do mundo.

Por fim, também é imperdível o pitoresco bairro de Boccadasse.

Categorias
Curiosidades

Ligúria: 16 curiosidades sobre esta região da Itália

Ligúria é sinônimo de mar, montanhas, bom vinho, excelente comida, história e charme. Uma simples faixa de terra cercada pelas montanhas e pelo azul profundo do mar, a Ligúria nos maravilha com seus incríveis parques naturais e uma ampla variedade de paisagens impressionantes e lugares curiosos para descobrir.

Veja então 16 curiosidades sobre a Ligúria!

 

1. A Ligúria é uma das menores regiões da Itália

Onde fica Genova

Cobrindo uma área de 5.420 km2, a Ligúria, cuja capital é Gênova, é a terceira menor região da Itália (fica atrás apenas do Vale d’Aosta e do Molise). No entanto, como diz o ditado, os melhores perfumes estão nos pequenos frascos e este é certamente o caso desta região linda.

Além disso, a Ligúria é dividida em quatro províncias: Gênova, Savona, Impéria e La Spezia.

 

2. Faz fronteira com a França

Fronteira entre Itália e França em Ventimiglia

Se você olhar o mapa da Itália, verá que a Ligúria faz fronteira com a França. De um lado está a cidade de Ventimiglia e do outro, Menton, hoje cidade francesa, mas que antigamente fazia parte da República de Gênova.

 

3. É na Ligúria que ficam as Cinque Terre

Vernazza, uma das “cinco terras”

Sem dúvida, uma das atrações mais famosas da Itália são as Cinque Terre (cinco terras), isto é, cinco pequenas vilarejos: Corniglia, Manarola, Monterosso al Mare, Riomaggiore e Vernazza. E elas ficam na Ligúria!

Durante anos, cada uma dessas comunidades permaneceu praticamente intocada pelo turismo, tornando-as alguns dos locais mais autênticos para visitar na região, mas hoje em dia recebem turistas do mundo inteiro.

 

4. Uma das Repúblicas Marítimas da Itália

Bandeira de Gênova
Bandeira da República de Gênova, com a cruz de São Jorge. Ela continua sendo a bandeira de Gênova.

Durante os séculos IX e X, as costas da Europa Mediterrânea, em particular a Itália, estavam sob constante ataque de invasores e piratas muçulmanos. Para se defender dessas ameaças, as cidades da Itália começaram a desenvolver marinhas poderosas.

As quatro Repúbicas Marítimas mais potentes e importantes eram Amalfi, Pisa, Gênova e Veneza. A República Marírima de Gênova foi a terceira a se estabelecer, e a partir do século X ficou famosa pela Compagna, uma grande associação de comerciantes e marinheiros que governavam a cidade e administravam os bens do Conselho. Após a batalha contra Pisa, no século XIII, tornou-se a maior potência do mar Tirreno e do Mediterrâneo ocidental. Mas a rivalidade com Veneza marcou seu fim no século XIV: após quase duzentos anos de guerra, Gênova foi forçada a reconhecer a supremacia de Veneza.

 

5. Tem o maior porto da Itália

Porto de genova

Com seus 700 hm² de área no solo e 22 km de docas, o Porto de Gênova é o maior porto da Itália no que diz respeito às dimensões. É em Gênova que ficam as sedes dos grandes construtores navais italianos.

O porto de Gênova tem uma grande relevância já desde o século XII, quando as rotas comerciais no Mar Mediterrâneo cresceram e a cidade se tornou uma potência no comércio de itens de luxo vindos do Oriente.

 

6. E também o maior Aquário

Uma medusa do Aquário de Gênova

Inaugurado em 1992, o Aquário de Gênova é o maior aquário da Itália e o segundo maior da Europa. Com seus 70 tanques e cerca de 15.000 animais de mais de 600 espécies diferentes, a estrutura reproduz ambientes marinhos de importância excepcional, como os do Mar Vermelho, do Mediterrâneo e do Oceano Pacífico. O projeto tem a assinatura oficial do arquiteto Renzo Piano.

 

7. É possível observar baleias

A costa da Ligúria é o lar de várias espécies aquáticas, das quais as mais comuns são as baleias cachalote. Para muitos amantes da vida selvagem, a observação de baleias é uma atividade única na vida que não deve ser desperdiçada.

Consequentemente, os visitantes podem fazer passeios especiais de barco a partir de vários locais ao longo da costa para desfrutar de um dia ou tarde de observação de baleias, onde um biólogo marinho fica à disposição para fornecer informações extras sobre as baleias e seus habitats.

 

8. Sua capital é tutelada pela Unesco

O centro histórico de Gênova é lugar de esplêndidos tesouros históricos, artísticos e arquitetônicos. Embora os novos edifícios tenham acrescentado um toque contemporâneo, grande parte da cidade ainda é constituída por edifícios antigos e monumentos valorizados tanto por moradores quanto por visitantes.

Um desses lugares é Strade Nuove, uma área antiga onde ficam os Palazzi dei Rolli, um grupo de residências históricas construídas ao longo dos séculos XVI, XVII e XVIII e inseridos na lista de Patrimônios da Humanidade da Unesco.

Esses palácios, com sua elegância, representavam a grandeza de Gênova aos olhos do mundo e faziam parte dos registros da cidade (os rolli) através dos quais as residências eram escolhidas onde hospedar os ilustres convidados em visita de estado.

LEIA TAMBÉM  7 Coisas sobre Gênova que talvez você não saiba

 

9. A Ligúria é a pátria do pesto!

Vendedor de pesto de manjericão

A Ligúria, mais especificamente Gênova, é a pátria do pesto de manjericão, o famoso pesto genovese. O nome deste molho deriva do método de preparação original: o esmagamento (em italiano o verbo pestare significa pisar, esmagar) das folhas e outros ingredientes no tradicional pilão de mármore.

O pesto em sí tem origens no Império Romano, mas a receita original do pesto genovese remonta à segunda metade do século XIX, obra de Giovanni Battista Ratto que o descreveu em seu livro de receitas denominado La cuciniera Genovese.

 

10. Cristóvão Colombo nasceu na Ligúria!

Casa de Colombo
Ruínas da casa de Colombo, em Gênova. Foto: WikiCommons

Você sabia que o grande navegador nasceu em Gênova? Há documentos que atestam que ele nasceu na capital da Ligúria, em 1451.

Embora existam várias teorias sobre o local de nascimento de Colombo (há quem diga que ele era catalão, outros juram que ele era português), graças a um ato notarial, ao testamento e a uma troca de cartas entre banqueiros de Gênova e Colombo, pode-se afirmar que ele realmente nasceu em Gênova.

Próximo à Porta Soprana, em Gênova, nos arredores das antigas muralhas medievais, fica a chamada Casa de Cristóvão Colombo. É provavelmente uma reconstrução, datada do século XVIII, do edifício medieval original, no qual o descobridor das Américas viveu em sua juventude.

LEIA TAMBÉM  Cristóvão Colombo: de Gênova para o mundo

 

11. E o jeans também!

Curiosidades sobre Genova

Sim, eu sei que parece estranho, mas é verdade! Certamente você está pensando na Levi Strauss & Co, Lee e Wrangler, que são todas marcas americanas e históricas. No entanto, o jeans tem origens na Ligúria.

A primeira menção remonta ao século XVI, na cidade de Gênova, mais precisamente no porto antigo, onde essa tela azul foi criada e usada para a fabricação de velas de navios e lonas, pois é muito resistente, durável e facilmente lavável.

O termo “jeans” apareceu pela primeira vez em 1795, quando um banqueiro suíço chamado Jean-Gabriel Eynard e seu irmão Jacques foram para Gênova e começaram um comércio de tecido. Em 1800, as tropas de Massena entraram na cidade e Jean-Gabriel foi encarregado de seu suprimento. Em particular, ele lhes forneceu uniformes realizados com um tecido azul chamado “bleu de Genes”, de onde mais tarde deriva a famosa roupa conhecida mundialmente como “Blue Jeans”.

Uma curiosidade: As primeiras cidades onde o tecido jeans foi produzido foram Gênova e Nîmes, na França. Em Nîmes, os franceses tentaram reproduzir o mesmo tecido produzido em Gênova, mas ao invés disso eles desenvolveram um tecido diferente, apesar de bastante semelhante. Tornou-se conhecido como “denim”, palavra que que vem do francês “de Nîmes”.

 

12. Onde acontece o Festival de Sanremo

curiosidades sobre a Ligúria
Andrea Bocelli no Festival de Sanremo de 1994

 

É na Ligúria que acontece o Festival de Sanremo, o mais famoso festival de música italiano. Ele acontece todos os anos, desde 1951, e já revelou ao mundo artistas que se tornaram famosos mundialmente, como Andrea Bocelli e Laura Pausini.

Além disso, também já participaram do Festival de Sanremo artistas brasileiros, como Toquinho e Roberto Carlos, sendo este o único brasileiro a vencer o festival, no ano de 1968, com a música Canzone per Te.

 

13. Um Cristo no fundo do mar

curiosidades sobre a Ligúria
Cristo do Abismo, Ligúria – Itália. Foto: vgm8383 (FlickR)

No fundo do mar  de San Fruttuoso, entre Camogli e Portofino, no silêncio do mar profundo, há uma figura mística com os braços erguidos em sinal de invocação, uma grande estátua de bronze de Cristo.

O “Cristo do Abismo” é uma estátua de 2,5m de altura feita por Guido Galletti e colocada no fundo do mar como uma homenagem a Dario Gonzatti, o primeiro italiano a usar equipamento de mergulho e a todos que perderam a vida mergulhando. Foi instalado a 17 metros de profundidade, em agosto de 1954.

Hoje em dia, mergulhar para observar o Cristo é uma das excursões mais famosas da costa da Ligúria.

LEIA TAMBÉM  Camogli: dicas de uma das pérolas da Ligúria

 

14. Riviera dei Fiori, um litoral que é um inteiro jardim

Ventimiglia, Ligúria
Ventimiglia, Ligúria

A chamada Riviera dei Fiori, na Ligúria, é o trecho de litoral que se estende por cerca de 80km, de Andora até a fronteira com a França, em Ventimiglia, e que corresponde exatamente às fronteiras da província de Impéria.

A área, especialmente a cidade de Sanremo, é conhecida pela produção de flores, daí o nome que a caracteriza. As principais cidades são Bordighera, Imperia, Ospedaletti, Sanremo, Taggia e Ventimiglia. Neste trecho fino de terra, se passa das montanhas ao mar, das colinas verdejantes aos vales com seus bosques, às baías e enseadas que se alternam com praias lindíssimas.

 

15. Produz “as melhores azeitonas do mundo”

As azeitonas da variedade “Taggiasca” são provenientes da Liguria, produzidas na província de Impéria, que é onde fica o município de Taggia, lugar onde começou o cultivo das mesmas. Elas são consideradas por muitos as melhores azeitonas do mundo, por causa do seu sabor é único, sendo ao mesmo tempo, doce e decisivo.

De fato, o azeite produzido com este tipo de azeitona é bastante valioso e tem qualidades organolépticas excelentes, superiores a outros tipos produzidos na Itália. Com as azeitonas Taggiasca a Ligúria produz o azeite Riviera Ligure DOP.

 

16. Um vinho único produzido por “viticultores heróicos”

A Liguria é o lugar de produção de um vinho muito peculiar, o Sciacchetrà (pronuncia ‘Xaquetrá’). É um vinho licoroso incrível, produzido a partir das uvas que crescem nas colinas íngremes de Cinque Terre. O cultivo dessas vinhas é tão difícil que os fabricantes de Sciacchetrà são chamados “viticultores heróicos”.

Enfim, o verdadeiro e autêntico Sciacchetrà só pode ser produzido em alguns municípios da província de La Spezia. A maioria dos produtores de Sciacchetrà está concentrada nos vilarejos de Cinque Terre. O Sciacchetrà foi reconhecido como um vinho DOC (Denominazione di Origine Controllata).

Categorias
Passeios

5 atrações para conhecer no Porto Antigo de Gênova

O Porto Antigo de Gênova é, certamente, a área mais visitada pelos turistas que chegam à Superba. Descubra as atrações que você poderá ver por lá!

O lugar foi completamente reconstruído em 1992, com uma intervenção do famoso arquiteto Renzo Piano. O porto antigo de Gênova é, de fato, muito simples de ser visitado, tanto se chegarmos a Gênova de trem quanto para os turistas que desembarcam de navios de cruzeiro.

Além disso, é lá que estão algumas das atrações mais populares da cidade, uma perto da outra, começando pelo Aquário de Gênova.

Enfim, veja abaixo 5 atrações para você conhecer na área do Porto Antigo de Gênova.

 

1. O Aquário

Certamente a atração mais amada em Gênova é o seu aquário, o maior da Europa em número de animais. Grandes e pequenos literalmente permanecem de boca aberta em frente às enormes piscinas com pinguins, tubarões, focas e golfinhos. A sala das águas-vivas nos fará apaixonar-se por essa espécie marinha tão maltratada, enquanto no Pavilhão da Biodiversidade é possível acariciar as arraias e ver répteis de todos os tipos.

Aquario de Genova
Uma medusa do Aquário de Gênova

2. A Biosfera

Caminhando ao longo do Porto Antigo de Gênova, em um certo ponto, vemos uma bolha gigante de vidro suspensa sobre a água. É a Biosfera, outro projeto de Renzo Piano, uma esfera que contém um verdadeiro ecossistema tropical, com mais de cento e cinquenta animais e plantas, incluindo um papagaio bem treinado que adora posar para ser fotografado.

Aquario de Genova

3. O elevador panorâmico

Sempre de Renzo Piano é o Bigo, o elevador panorâmico do porto antigo de Gênova que certamente não passa despercebido. A forma do Bigo é inspirada nos guindastes montados em navios de carga para descarregar as mercadorias, antes que os contêineres para transporte marítimo começaram a ser usados.

4. O Galata Museo del Mare

Um dos museus marítimos mais interessantes e originais do Mediterrâneo é, sem dúvida, o Galata Museo del Mare, em Gênova, a poucos passos do Aquário e da Biosfera.

O Galata Museo del Mare hospeda reproduções de navios, incluindo uma galeão genovês de tamanho original e mapas marítimos antigos com sistemas interativos, curiosidades sobre Cristóvão Colombo, uma exposição sobre monstros marinhos, a balsa com a qual Ambrogio Fogar sobreviveu a um naufrágio, uma área dedicada a migrações por mar e muito mais.

 

5. O submarino Nazario Sauro

Com o mesmo ingresso do Galata Museo del Mare, também é possível visitar o submarino Nazario Sauro ancorado no cais em frente ao museu. Sem dúvida, entrar em um submarino é uma experiência única que nos fará imaginar a vida lá dentro. Na Itália, existem apenas 3 submarinos abertos à visitação e um deles é justamente o Nazario Sauro de Gênova, por isso não devemos perder esta oportunidade!

 

Para salvar no Pinterest